Major Rocha participa de lançamento de projeto de ressocialização de jovens do Instituto Socioeducativo e inaugura ateliê

Como parte da agenda de compromissos do governo do Estado, o governador em exercício, Major Rocha, participou na manhã desta quarta-feira, 27, do lançamento do programa Entre Linhas e Agulhas, do Instituto Socioeducativo (ISE). A solenidade foi realizada nas dependências do Centro Socioeducativo (CSE) Mocinha Magalhães, na Estrada da Floresta, em Rio Branco.

Espaço será destinada à formação das adolescentes Foto: Marcos Vicentti/Secom

Fruto de uma parceria entre o governo do Acre, por meio do ISE, e o Ministério Público do Trabalho (MPT), o projeto visa capacitar e profissionalizar, inicialmente, 40 adolescentes que cumprem medidas socioeducativas de internação e semiliberdade na capital. Na ocasião, foi inaugurado um ateliê totalmente equipado, onde serão realizados os cursos.

O curso profissionalizante de Corte e Costura será ministrado por instrutores do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A perspectiva do ISE é expandir o curso para as unidades de internação masculinas e também para unidades do interior.

O projeto faz parte das diretrizes de governo para a ressocialização de pessoas em conflitos com a lei que cumprem medidas socioeducativas no âmbito estadual.

Em seu discurso, Major Rocha relembrou a realidade do sistema socioeducativo no início da gestão, destacando que, com a iniciativa e o envolvimento de todo o sistema de segurança pública, além de parcerias com outros órgãos do poder público, essa realidade está mudando.

“Os resultados estão vindo, esta iniciativa é apenas um dos resultados e acredito que podemos avançar muito mais, com o apoio das instituições, como o Ministério Público, o Judiciário, a iniciativa privada e também de nossos servidores, que são muito importantes para que tudo isso aconteça”, enfatizou, colocando o governo do Estado à disposição para ações de reinserção de jovens na sociedade.

Adolescentes que cumprem medidas socioeducativas de internação e semiliberdade na capital participam de projeto Foto: Marcos Vicentti/Secom

A diretora do CSE Mocinha Magalhães, Alessandra Diniz, emocionou-se ao relembrar todo o processo de criação e execução do projeto, passando pela busca de parcerias e o envolvimento de toda a equipe do centro, revelando ainda um encontro recente com uma jovem que foi interna da casa.

“Fui fazer minhas unhas e, chegando ao salão, encontrei trabalhando uma adolescente que esteve conosco. Isso mostra que nosso trabalho está sendo bem feito, pois a profissão que ela tem hoje foi aprendida aqui, o que nos deixa muito felizes. Estamos colhendo os frutos de um trabalho sério, muito obrigada aos colaboradores por fazerem a diferença na vida desses jovens”, disse.

Gestores participaram do lançamento do projeto nesta quarta-feira Foto: Marcos Vicentti/Secom

O diretor-presidente do ISE, Mário Cesar Freitas, relatou aspectos fundamentais para o êxito da reinserção social: “Vejo o sistema socioeducativo com dois grandes desafios: o primeiro é oferecer cursos técnicos profissionalizantes aos adolescentes, assistência psicológica e social para a mudança de comportamento, além de dar as condições necessárias para que isso aconteça. O outro grande desafio, e aí precisamos muito da ajuda da iniciativa privada, é o encaminhamento desses jovens, quando são desinternados, porque esse é um momento crucial em suas vidas”, analisou.

Na próxima semana, o ISE inaugura o laboratório de informática, em parceria com a Secretaria de Educação, onde irá atender outras dezenas de adolescentes em condição de cumprimento de medidas socioeducativas e em semiliberdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *