Saiba mais sobre a Proclamação da República e descubra por que hoje é feriado

Nesta sexta-feira (15), comemora-se o Dia da Proclamação da República. Sabe o que isso significa? Em 15 de novembro de 1889, o marechal Deodoro da Fonseca proclamou a República e pôs fim ao Império. Com isso, D. Pedro 2º perdeu o poder e teve que sair do país, assim como a família real.

Saiba mais sobre a data abaixo, em reportagem da “Folhinha” de 1975.

*

Folhapress
da capa da edição da Folhinha de 9 de novembro de 1975
Capa da Folhinha em 9 de novembro de 1975

Vários fatores apressaram a Proclamação da República. Em primeiro lugar, o desgosto de alguns senhores de escravos que prejudicados pela abolição começaram a apoiar os republicanos. Depois, o clero deixou de apoiar o trono, apoio que este possuía desde o primeiro Império.

A Escola Militar organizou uma comissão para combater a reforma do montepio militar em 1883. O movimento foi se desenvolvendo e acabou por obrigar o governo a anular as punições impostas aos militares envolvidos.

Uma falsa notícia espalhada em 14 de novembro precipitou os acontecimentos. Ela dizia que havia-se determinado a prisão de dois grandes defensores da República, um militar de projeção, o marechal Deodoro, comandante de uma das tropas da capital e Benjamin Constant, professor da Escola Militar.

Os militares combinaram então para o dia 15 de novembro de 1889 a marcha para o centro da cidade de tropa aquartelada em São Cristovão. Deodoro, mesmo adoentado, assumiu o comando das tropas que se reuniram no Campo de Santana, atual Praça da República.

O último Ministério do Império, liderado por Afonso Celso Assis Figueiredo e Visconde de Ouro Preto, ainda tentou conter o movimento. Ordenou a Floriano Peixoto que atacasse as tropas revoltadas. Mas sua ordem não foi cumprida. O Visconde Ouro Preto telegrafou então ao Imperador em Petrópolis e pediu sua demissão do Ministério.

Deodoro, entrando no Ministério da Guerra, declara deposto o Visconde de Ouro Preto. Estava declarada a República. As tropas vitoriosas desfilaram pelas ruas principais, dirigindo-se depois para o Arsenal da Marinha. Deodoro, como chefe do governo provisório, assinou os primeiros atos republicanos, antes mesmo que o Imperador voltasse de Petrópolis com o objetivo de organizar o novo Ministério.

(Folha de S. Paulo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *