Após demissões, professores e alunos do EJA fecham o Terminal Urbano em protesto contra a SEE

 

O ato aconteceu às 18 horas desta quarta-feira (21) na Avenida Brasil, centro da cidade.  “Os professores da EJA, juntamente com alunos e assistentes educacionais insatisfeitos com a decisão da SEE, juntamente com o governador, em fechar turmas e um grande números de escolas, ocasionando transtornos irreparáveis como muitos alunos fora das escolas, pois não aceitam tirarem o direito garantido por lei de estudarem próximos de suas residências e outro grave problema é a demissão desse grande número de professores que foram pegos de surpresa e perderam seus empregos.

Desse modo os envolvidos vieram a público, mostrar sua indignação, por meio de uma manifestação que aconteceu, às 18h, desta quarta-feira dia 21, no Terminal Urbano com o objetivo de fechar o terminal e se fazer ouvir pelas autoridades competentes”, diz comunicado.

Em entrevista à imprensa, o governador Gladson Cameli garantiu que não quer acabar com o programa de Ensino de Jovens e Adultos, mas, sim, contratar professores efetivos e acabar com os contratos provisórios.

Em nota, a SEE confirma as demissões e o fechamento das salas e diz que o motivo é cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal e que sua equipe gestora, juntamente com gestores escolares e coordenadores dos núcleos nos municípios do interior, está realizando um reordenamento de pessoal, a partir do levantamento de contratos temporários e contratações diretas realizadas desde o início do ano, para proceder com o ajuste exigido.

A secretaria afirma também que lamenta os transtornos gerados naturalmente por essa ação, mas reforça que é necessária para que o Estado não venha a ter prejuízos maiores em seu orçamento e a sofrer com as restrições previstas pela Lei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *