Cinco casos suspeitos de sarampo no Acre foram descartados após análise laboratorial

Começou nessa quinta-feira, 22, a vacinação preventiva às crianças de seis meses a menores de 1 ano contra o sarampo em todo o país. Segundo a responsável técnica pela Vigilância Epidemiológica das Doenças Exantemáticas no estado, foram notificados cinco casos suspeitos de sarampo em 2019, mas todos foram descartados por critério laboratorial, conforme preconizado pelo MS. “Os últimos casos confirmados de Sarampo no Acre foram no ano de 2000. O Estado mantém uma rotina ativa de ações a fim de evitar a reintrodução do sarampo”, afirma Renata Meireles.

Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo.

No Acre, as equipes de saúde receberam nesta sexta, 23, o documento do Ministério da Saúde (MS) que oficializa o encaminhamento e as orientações da campanha no estado. Agora, todas as crianças devem ser vacinadas com uma dose tríplice viral, devendo manter as recomendações estabelecidas no calendário nacional de vacinação.

Conforme o documento, “a vacinação de rotina contra o sarampo deve ser mantida na população de 1 (um) ano até 49 anos de idade, considerando-se o histórico anterior de vacinas que contenham componente sarampo”, informa.

A secretaria estadual de saúde no Acre (Sesacre) tem realizado algumas ações para intensificar o combate à doença. “Assessoria e capacitação aos profissionais de saúde quanto à notificação e manejo clínico de um paciente suspeito, busca ativa, educação em saúde através de palestras, folders em unidades de saúde, escolas e instituições públicas e privadas, elaboração de notas técnicas e boletins epidemiológicos”, elenca Meireles.

Além disso, existe uma parceria com o Programa Nacional de Imunizações (PNI). “A vacinação é a melhor forma de prevenção”, ressalta a técnica. A vacinação preventiva deve alcançar 1,4 milhão de crianças em todos os estados.

As doses servem para crianças que não receberam a dose extra, chamada de dose zero, e também previstas no Calendário Nacional de Vacinação, aos 12 e 15 meses.

A campanha busca intensificar a vacinação das crianças, que são mais suscetíveis a casos graves e óbitos. Pais e responsáveis também devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral mais varicela, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *