Detran homenageia vítimas de acidentes de trânsito

Sensibilizar toda a sociedade, não somente aqueles que perderam alguém próximo em virtude de um acidente e lembrar que qualquer um pode ser vítima do trânsito: este é o objetivo do dia mundial em memória às vítimas de trânsito, celebrado no terceiro domingo de novembro. O Detran realiza pelo terceiro ano um ato para lembrar a data. Neste domingo, 17, funcionários da autarquia estarão em algumas igrejas católicas e evangélicas, presentes durante os cultos e missas, para a leitura de uma mensagem de reflexão aos fiéis.

neste domingo, 14, funcionários da autarquia estarão em algumas igrejas católicas e evangélicas para a leitura de uma mensagem de reflexão aos fiéis. (Foto: Assessoria Detran)

neste domingo, 17, funcionários da autarquia estarão em algumas igrejas católicas e evangélicas para a leitura de uma mensagem de reflexão aos fiéis. (Foto: Assessoria Detran)

Por este motivo, como uma forma de prestar homenagem a estas pessoas e suas famílias é que a ONU, em 2005, decidiu estabelecer todo terceiro domingo do mês de novembro como o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Trânsito. Foi criado em 1993 pela RoadPeace, uma organização de caridade do Reino Unido em prol das vítimas de acidentes rodoviários. Desde então a RoadPeace, a Federação Europeia e as organizações parceiras, realizam esse ato em todo o mundo.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), em todo o mundo, cerca de 1,3 milhão de pessoas são mortas por ano em acidentes rodoviários e cerca de 50 milhões ficam feridos. As ocorrências de trânsito são também a principal causa de mortes entre os jovens na faixa etária dos 10 aos 24 anos. Projeções indicam que estes números aumentem em cerca de 65% nos próximos 20 anos, a menos que se invista massissamente em sua prevenção. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 62% das mortes no trânsito se concentram em 10 países – Índia, China, Estados Unidos, Rússia, Brasil, Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito. O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) estima que o governo brasileiro gaste anualmente cerca de 30 bilhões de reais com estas vítimas.

No Acre, apesar das estatísticas favoráveis, que revelam uma diminuição significativa no número de óbitos em acidentes de trânsito, apenas em 2012 foram registradas 95 mortes nas vias estaduais. Em 2013, até  o momento, este número já chega aos 73. Mas muito além dos dados estatísticos, cada vítima carrega consigo sua história, com sonhos e aspirações, muitas vezes interrompidos por ter sua vida abreviada em decorrência de um acidente fatal.

Por entender a dimensão deste assunto é que o trânsito tem sido uma das prioridades na gestão do governador Tião Viana, sendo este é o terceiro ano em que se realizam atividades alusivas às vítimas de trânsito. Além disso, desde o início do seu mandato, campanhas têm sido lançadas, visando tornar as vias públicas mais seguras para a circulação dos condutores, ciclistas e pedestres, assim reduzindo os acidentes, para que os cidadãos acreanos não sofram com a perda de entes queridos e com a consternação de um lar desfeito.

(Agência de Notícias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *