Evo Morales convida país e organizações para solução de conflitos na Bolívia

O movimento contrário à reeleição de Evo Morales na presidência da Bolívia culminou numa coletiva de imprensa neste sábado, realizada por Evo e sua equipe de governo. Nessa sexta-feira, 8, policiais de pelo menos três cidades se rebelaram contra o governo e se negaram a conter os protestos, que vem ocorre há semanas no país, desde o resultado da última eleição.

Morales pediu que organizações e países internacionais ao redor do mundo, as diferentes igrejas, representantes do Papa Francisco participem do diálogo no país a fim de pacificar os manifestos.

“Exorto a Polícia a cumprir as normas e suas responsabilidades constitucionais. Para preservar a vida e a democracia, convoco os partidos a dialogar com os partidos que obtiveram representação parlamentar. “Uma mesa de diálogo para pacificar a Bolívia”, disse em coletiva de imprensa.

Morales ainda citou democracia em seu discurso. “Peço aos patriotas, aos servos, às pessoas que recuperaram a democracia: mineiros, operários, bispos para defender a democracia, defender a vida e o voto do povo boliviano”.

Para o presidente mais uma vez reeleito, a situação de protestos trata-se de um golpe. “Quero denunciar o povo boliviano e todo o povo um golpe de estado. Um golpe de estado a um governo eleito democraticamente”.

Com informações do El Deber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *