Gladson Cameli garante que Depasa e Saúde não serão privatizados no Acre

O chefe do executivo estadual pontuou que no caso do Instituto de Saúde, é uma forma de absolver os servidores do Pró-Saúde.

O governador Gladson Cameli (Progressistas) disse, na tarde desta segunda-feira (9), que os projetos que serão encaminhados ao poder legislativo não tratam especificamente de privatizações.

“Primeiro que não será enviado nenhum projeto de privatização do Depasa. O que existe é um projeto de saneamento não só no Acre, mas em outros estados e essa ajuda parte da iniciativa privada. Mas isso ainda precisa do apoio das prefeituras, ou seja, não é uma situação de governo”, explicou.

Com relação ao polêmico projeto “Instituto de Saúde”, Gladson voltou a dizer que não se trata também de privatização, mas de uma forma legal de encaixar os servidores do Pró-Saúde. “A legislação não me embasa mais a segurar esses servidores, não há justificativa legal. Eu já fiz vários concursos, mas muitos não passaram então, o meio foi esse de fazer esse instituto e absolver esses profissionais”, declarou.

O chefe do executivo estadual pontuou que assim que aprovada a matéria, os servidores do Pró-Saúde deverão ser lotados nas unidades de saúde do Estado que serão inaugurados, como por exemplo, o Instituto de Traumatologia do Acre (Into) e outros. “É uma forma deles não serem demitidos pois a justiça me mandou demitir, mas não fiz. Afinal foi uma das bandeiras de campanha. Eles ainda serão remunerados da mesma forma que os concursados”, argumentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *