Governo do Acre aprova por unanimidade a renegociação da dívida interna na Aleac

A autorização dada pelos deputados estaduais para que o governo possa renegociar cerca de R$ 1 bilhão da sua dívida significará a economia de R$ 100 milhões por ano aos cofres públicos. Esses recursos poderão ser aplicados em projetos sociais que beneficiarão a população acreana. A equipe econômica já tem a autorização da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) para a negociação desse montante que representa 30% do total da dívida do Estado contraída em gestões anteriores.

Essa renegociação tem sido conduzida com empenho pelo governador Gladson Cameli (Progressista) e a equipe econômica do governo. Com a aprovação por unanimidade do projeto pelos deputado, o Estado pagará juros menores e terá um prazo mais dilatado para saldar o débito.

As articulações para a vitória governista no parlamento estadual teve à frente o presidente da Aleac, deputado Nicolau Jr. (Progressista), o líder do governo, deputado Gehlen Diniz (Progressista) e o relator, deputado Chico Viga (PHS). A dívida passará para o Banco Brasil Plural que ficará responsável pela operação de crédito.

Oposição apoiou o projeto

Todos os parlamentares de oposição votaram a favor da renegociação da dívida interna do Estado. O deputado Daniel Zen (PT) fez questão de declarar na tribuna o seu voto e explicar as motivações.

“A oposição cumpre o seu papel de fazer críticas e questionamentos ao governo, mas apoia também matérias de interesse da população. Estou votando a favor da renegociação da dívida porque trará benefícios evidentes ao Estado. Repactuando juros e prazos de pagamentos a gestão poderá respirar. Se assim não fosse poderia se descapitalizar e descumprir com os seus compromissos mais básicos. Parabéns à equipe do governo que poderá fazer investimentos em áreas sociais com os recursos economizados,” disse ele.

Por outro lado, o deputado estadual governista Luiz Tchê (PDT) fez questão de parabenizar o governador Gladson Cameli pela iniciativa da renegociação.

“Assim poderá se fazer investimentos importantes num Estado que estava engessado por essas dívidas adquirindo um fôlego necessário. Essa foi uma luta desde o começo do mandato do governador Gladson e uma prova de que a nossa gestão está no caminho certo”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *