Matador de delegado é condenado a mais 14 anos por tiro contra sargento do BOPE

Em julgamento realizado nesta sexta-feira (18), o Tribunal do Júri de Xapuri condenou a 14 anos de reclusão, pena a ser cumprida em regime inicialmente fechado, o presidiário Elivan Verus da Silva, 37, por tentativa de homicídio contra o sargento do BOPE, Antônio de Jesus Batista.

O crime aconteceu no dia 15 de dezembro de 2014, quando Elivan tentava escapar de um cerco montado por uma operação realizada pelas polícias civil e militar para o prenderem depois que ele efetuou um disparo de espingarda calibre 20 contra o delegado Antônio Carlos Marques Mello, o Carioca, que morreu 25 dias depois em Rio Branco.

AInda segundo o MP, depois de vários dias foragido Elivan adquiriu uma espingarda calibre 20 na Bolívia, e no dia 14 de dezembro sequestrou uma ex-namorada, que foi obrigada a levá-lo à cidade.

Encurralado em um cerco policial, Verus conseguiu escapar depois de atirar no delegado Antônio Carlos, que um pouco antes de ser baleado havia dado voz de prisão ao fugitivo. Ele foi capturado um dia após o crime numa grande operação policial.

Elivan Verus da Silva foi condenado pelos crimes contra a jovem e o delegado em dois julgamentos, ocorridos nos dias 17 de junho e 1º de julho de 2015. Nas duas oportunidades também foi condenado pela tentativa de homicídio contra a mãe de Janaína e pelo sequestro da outra ex-namorada. No total, foi sentenciado a 60 anos de reclusão em regime inicialmente fechado.

Com a condenação desta sexta-feira (18), ele possui 73 anos e 6 meses de reclusão a serem cumpridos. Recentemente, ele foi denunciado pelo Ministério Público do Estado do Acre pelos crimes de tráfico de drogas e de associação para o tráfico, cometidos dentro do presídio onde se encontra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *