Membros do PCC expulsam família de jovem morto e queimam casa com tudo dentro

A casa onde residia o jovem José Maurício, de 22 anos, vulgo “pastor” morto com três tiros, na noite desta sexta-feira (7) dentro de sua residência na frente da filha de 2 anos e sua esposa, na rua João Ribeiro no bairro Taquari, no Segundo Distrito de Rio Branco, foi incendiada no final da manhã deste sábado (8) por membros da facção Primeiro Comando da Capital (PCC).

O fato aconteceu depois, que Kieslley Mateus de Queiroz, de 19 anos, matou José Maurício. O pai da vítima, o senhor Raimundo Nonato, de 59 anos, ao ver o filho morto, tomou posse de um terçado e desferiu vários golpes no assassino de seu filho que mesmo ferido conseguiu fugir em uma motocicleta pedir ajuda, e ser conduzido por uma ambulância do Samu em estado de saúde grave ao Pronto Socorro de Rio Branco.

De acordo com informações de moradores, vários membros da facção chegaram na residência e expulsaram todos os familiares de José Maurício e mandaram que fugissem rapidamente. Os criminosos adentraram a casa jogaram gasolina e a queimaram com todos os pertences, móveis, eletrodomésticos e documentos. Após a ação os faccionários fugiram do local.

Depois que os membros da facção abandonaram o local, moradores temendo que o fogo se alastrasse até as suas residências que são de madeiras, acionaram o Corpo de Bombeiros.Duas viaturas chegou até a região e apenas terminou de apagar as chamas que já havia consumido toda a residência do falecido José Maurício e o do seu pai Raimundo Nonato que se encontra no Pronto Socorro de Rio Branco, após ser ferido ainda na noite desta sexta-feira, tentando defender seu filho.

A reportagem do ac24horas procurou saber com moradores a motivação da morte de José Maurício, eles relataram que o jovem era membro da organização criminosa PCC e estaria traindo a facção, passando informações a membros do Comando Vermelho e servindo de olheiro para a facção rival.

“O que a gente soube aqui, era que o “pastor” estava traindo o PCC passando informações e sendo olheiro do CV. A facção não perdoa e a punição para quem trai a facção é a morte, o Conselho se reuniu e foi decidido isso”, disse um morador.

O caso já está sendo investigado pela Polícia Civil, toda a família de José Maurício e do seu pai Raimundo Nonato, tiveram que sair do bairro Taquari com medo de mais retaliação por parte da organização criminosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *