Morre aos 80 anos o ex-senador e ex-deputado Aluísio Bezerra, em Brasília

Morreu nesta quarta-feira, 25, às 14:30, em Brasília, o ex senador Aluísio Bezerra, que teve complicações decorrentes de três Acidentes Vasculares que sofreu. Ele, que tinha 80 anos. Foi prefeito de Cruzeiro do Sul, Deputado Federal de 1979 a 1987 e Senador da República de 1987 a 1995, tendo ficado conhecido como o senador dos Soldados da Borracha.

Aluísio era casado com a ex-deputada federal e ex-prefeita de Cruzeiro do Sul, Zila Bezerra, com quem tinha uma filha. A família não divulgou nada sobre o velório e sepultamento.

Filho de Manuel Bezerra da Cunha e de Otília Oliveira da Cunha. Ingressou na Câmara dos Deputados em 1964 como técnico legislativo. Formado em Direito pela Universidade de Brasília em 1969 com especialização pela mesma instituição em 1973, ano em que se formou em Administração pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília.

Oriundo do clandestino PCdoB ingressou no MDB e foi eleito primeiro suplente de deputado federal em 1974 obtendo a primeira suplência e um ano depois fundou o diretório municipal do MDB em Cruzeiro do Sul sendo seu primeiro presidente. Seguiu então para Paris onde obteve o título de doutor em Direito Internacional e relações políticas internacionais na Sorbonne, Universidade de Paris em 1978.

De volta ao Brasil no mesmo ano, elegeu-se deputado federal pelo MDB do Acre e com o fim do bipartidarismo em novembro de 1979 filiou-se ao PMDB compondo a chamada ala histórica do partido. Com o apoio de integrantes do PCdoB e do PCB elegeu-se mais uma vez deputado federal em 1982. Votou pela Emenda Dante de Oliveira e depois, no Colégio Eleitoral de 1985, em Tancredo Neves. Em 1986, foi eleito senador pelo Acre.

Em junho de 1988, durante a Assembleia Constituinte de 1988, admitiu ter votado pelos cinco anos de mandato para José Sarney em troca da inclusão de um pedido de liberação de verbas para a construção da Rodovia Transcontinental, que ligaria o Acre ao Peru. No julgamento de 29 de dezembro de 1992 votou pelo impeachment de Fernando Collor. Tentou a reeleição em 1994, mas não obteve êxito. Em 1996, elegeu-se prefeito de Cruzeiro do Sul. Tentou a reeleição, mas não obteve êxito. Encerrado seu mandato passou a apoiar à carreira política de sua mulher, Zila Bezerra, três vezes deputada federal pelo Acre e eleita prefeita de Cruzeiro do Sul em 2004.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *