NY abre valas comuns para enterrar mortos por coronavírus

Com o aumento do número de mortes em Nova York, a cidade mais afetada pelo novo coronavírus nos Estados Unidos, a prefeitura passou a usar valas comuns. Capturadas por drones, imagens mostram fileiras de caixões sendo enterrados por funcionários vestidos com roupas especiais de proteção e máscaras na Ilha de Hart Island, perto do Bronx.

O número confirmado de casos da Covid-19 no estado aumentou 10 mil na quinta-feira chegando a 159.937, dos quais 7 mil morreram — mais casos de contaminação registrados do que qualquer país no mundo. A Espanha, por exemplo, tem 157 mil casos e Itália tem 143 mil. Ao todo, os EUA registam neste momento mais de 16.500 mortos e 460 mil infetados.

Em épocas normais, são realizados 25 enterros por semana na Ilha Hart, uma tarefa antes delegada a detentos. Contudo, as autoridades reconhecem que, agora, são mais de 20  todos os dias. À medida que a pandemia vai causando mais vítimas em Nova York, os enterros ali passaram de um dia por semana para cinco dias por semana.

— Durante décadas, Hart Island foi usada para enterrar pessoas que não foram reclamadas pelas famílias. Vamos continuar a usar a ilha dessa forma durante esta crise e é provável que pessoas que morreram devido à Covid-19 e que se encaixem nesta descrição sejam enterradas na ilha nas próximas semanas —  explicou à CNN o porta-voz do prefeito da cidade, Fred Godstein. — São pessoas cujos corpos, durante duas semanas, não foram reclamados por ninguém.

Na quinta-feira, a prefeitura de Nova York anunciou que precisará contratar funcionários para conseguir enterrar todas as vítimas. Na Ilha de Hart, o trabalho de abrir as valas e enterrar os caixões costumava ser feito por presos da penitenciária de alta segurança de Rickers Island, mas o aumento do número de mortes obrigou as autoridades da cidade a contratar empresas especializadas.

Nesta quinta-feira, quando se completam 100 dias desde as primeiras notificações da Covid-19 à Organização Mundial da Saúde, os EUA superaram as 16 mil mortes no país, com a maior parte dos óbitos em Nova York (7 mil), Nova Jersey (1.700) e Michigan (1.000). O número de casos está perto dos 460 mil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *