Papelarias de Rio Branco apostam em promoções para aumentar vendas

papelariaA segunda quinzena de janeiro chegou. Mas ao contrário da estimativa de diversos empresários, a procura por material escolar nas papelarias de Rio Branco ainda é inexpressiva. Para reverter essa situação, alguns comerciantes do ramo decidiram adotar estratégias como facilidades na hora do pagamento, descontos e redução dos preços.

Proprietário de uma papelaria no Centro da capital, Victor David comenta que a expectativa agora é que o movimento no local cresça a partir das duas últimas semanas de janeiro e se intensifique poucos dias antes do início das aulas. “Essa tendência começa a partir do pagamento deste mês, já que as pessoas gastaram muito no fim de ano”, observa.

“Nós fazemos promoções e facilitamos a forma de pagamento com parcelas. Para quem compra à vista, oferecemos 10% de desconto. Associados e conveniados a entidades podem ter o valor descontado no contracheque”, afirma David.

José Mailah, dono de uma loja do ramo, também confirma o fraco movimento na procura pelos produtos. Segundo ele, os materiais disponíveis no local foram adquiridos em junho do ano passado para que pudessem ser vendidos abaixo do preço do mercado durante este período. Com a fórmula inovadora, o comerciante espera vendas elevadas.

“Acredito que as vendas este ano sejam grandes porque as pessoas costumam ir à Bolívia para comprar material escolar e agora o produto importado está muito caro. Já o nacional teve uma retração nos valores. Apesar de ter comprado esses produtos em 2015, todos eles têm boa qualidade. Os nossos preços são de promoção e aqui é mais barato”, garante Mailah.

Dicas

Para os pais que pretendem economizar na hora de fazer a compra do material escolar, algumas dicas são essenciais para não extrapolar o orçamento estabelecido. Reaproveitar os materiais do ano anterior é uma boa saída. Para isso, é necessários fazer uma busca em casa. Assim, o cliente pode encontrar itens praticamente novos e quase nunca utilizados.

Conversar com outros pais e ver a possibilidade de uma compra coletiva são alternativas inteligentes. Muitas lojas dão um bom desconto para esse tipo de ação. A famosa e velha pesquisa de preços é importante para garantir economia: visitar lojas, anotar os valores e depois comparar.

Confira outras opções para não gastar demais com as compras:

  • Desconfie do preço muito baixo de um único produto. Em alguns casos, apenas ele possui um preço mais acessível. Os demais itens da lista podem ser mais baratos em outras lojas. Na soma total, essa promoção pode não fazer diferença;
  • Escolha materiais escolares que atendam as Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e que tenham o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para garantir a segurança no uso diário dos estudantes;
  • Leia a lista de material escolar com atenção. As escolas da Rede Privada de Ensino não podem exigir a compra de produtos de uso coletivo como giz, detergente, lousa, entre outros;
  • Algumas escolas cobram uma taxa para o material escolar. Veja o valor, pesquise e decida qual é a melhor forma para a compra: adquirir os produtos por conta própria ou deixar a instituição de ensino efetuar a compra e a entrega dos artigos escolares.
  • Página 20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *