Prevenção contra enchente: prefeitura lança Plano de Contingência 2016

14
Com base em dados coletados ao longo dos últimos 11 anos, o documento propõe procedimentos que podem contribuir para minimizar impactos eventualmente causados pela cheia do rio Acre – Fotos: Fagner Delgado

O prefeito Marcus Alexandre lançou nesta terça-feira, 19, o Plano de Contingência para hipótese de enchentes/inundações na cidade de Rio Branco em 2016. O lançamento aconteceu na sede da Associação dos Municípios do Acre (AMAC) e contou com a participação de representantes do Corpo de Bombeiro, Exército Brasileiro, Força Nacional, e da sociedade civil.

Com base em dados coletados ao longo dos últimos 11 anos, o documento propõe procedimentos que podem contribuir para minimizar impactos eventualmente causados pela cheia do Rio Acre.

Além de trazer dados fornecidos pelo monitoramento do rio, o Plano permite visualizar locais atingidos, famílias afetadas, ações realizadas.

A apresentação foi feita pelo Coordenador Municipal de Defesa Civil, Cel George Santos. Ao detalhar o Plano, o coordenador da Defesa Civil expôs fotos e dados da maior enchente já registrada, quando, em 2015, o nível do Rio Are atingiu a cota de 18,40 metros. Naquele momento as águas alagaram 53 bairros, 900 ruas, desalojando ou desabrigando mais de cem mil pessoas. “Essa é a principal referência para que possamos pensar o que e como fazer em caso de alagação” ressaltou.

Apresentação foi feita pelo Coordenador Municipal de Defesa Civil, coronel George Santos
Apresentação foi feita pelo Coordenador Municipal de Defesa Civil,
coronel George Santos

Os dados de 2015 são a principal, mas não a única referência. Os números mostram ainda que de 1971 a 2015 o Rio Acre permaneceu 274 dias em cota de alerta, sendo 90 dias na gestão do Prefeito Marcus Alexandre.

De acordo com o prefeito Marcus Alexandre, a eficácia do plano reside mesmo no acúmulo de experiências anteriores. “O plano é resultado de tudo que a gente aprendeu com a alagação. Com ele podemos saber como agir quando as aguas atingem a cota de alerta, ao chegar à cota de transbordamento e o que fazer em casos extremos, como o que aconteceu em 2015”, afirmou o prefeito.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, apesar de ter chovido, entre os dias 19 de dezembro de 2015 17 de janeiro de 2016, mesmo que a média historicamente registrada no período, não é possível afirmar se em 2016 há, ou não, risco de enchente. “Hoje o nível do Rio está em torno de 6,20m, o que pode parecer tranquilizador. Mas, não podemos esquecer que, no ano passado, na quarta-feira de cinzas o Rio Acre registrava nível em torno de 6 metros, mas chegou aos 18,40m, assim permanecendo por 45 dias. Portanto a hipótese de alagação não está descartada e o plano prevê respostas para diversos casos possíveis”.

As ações envolvem equipes de mais de 20 órgãos municipais e contam com o apoio do Corpo de Bombeiros e Exército Brasileiro. De acordo com o represente do 7º BEC, Coronel Luis Henrique, “o exército já está de prontidão, podendo mobilizar, além de equipamento, pelo menos 70 por cento de todo o efetivo,” garantiu.

Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros, Coronel Gundim, “hoje a atenção está voltada ao município de Tarauacá onde o Rio Taraucá já atingiu a cota de alerta por duas ocasiões. Mas, nossas equipes estão de prontidão para agir também na capital, caso seja necessário”.

Assessoria PMRB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *