Primeira-dama visita Núcleo de Atividades de Altas Habilidades

Conforme as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica (2001), pessoas que possuem grande facilidade de aprendizagem, que o leve a dominar rapidamente conceitos, procedimentos e atitudes são consideradas com altas habilidades/superdotação. Por esta definição ressaltam duas características marcantes: a rapidez de aprendizagem e a facilidade com que estes indivíduos se engajam em sua área de interesse.

A primeira-dama do Estado, Ana Paula Cameli. esteve em visita na quarta-feira, 4, no Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S), para conhecer o trabalho desenvolvido pela instituição e os jovens identificados com Altas Habilidades/Superdotação.

Em conversa com os jovens já identificados com altas habilidades, Ana Paula Cameli recebeu dois quadros de presente, um com a imagem dela e do governador Gladson Cameli e o outro com o desenho do Guilherme e o pai.

Emocionada Ana Paula Cameli agradeceu o presente e disse que a instituição poderia contar com seu apoio para que este trabalho continue tendo êxito. “Essa instituição e esses jovens podem contar com o meu apoio, para quebrar todas as barreiras que existirem, o que eu puder fazer irei até o fim para ajudar este trabalho a avançar”, afirmou a primeira-dama do Estado.

O Núcleo realiza um trabalho de identificação de alunos com características de altas habilidades, tendo atualmente mais de 100 alunos em processo de investigação e ainda com lista de espera, nas diferentes áreas do conhecimento.

A coordenadora do NAAH/S, Tais Galdino, explicou que mais de 500 alunos já passaram pelo núcleo. “Sabemos que temos muito mais talentos dentro das escolas que precisam ser reconhecidos”, salientou. “Este ano o atendimento passou a ser no prédio do NAAH/S, no qual há mais socialização entre eles, e atendimentos individuais e por agrupamentos, por área de interesse. Não perdemos o vínculo com a escola, mas contribuímos com o desenvolvimento desses alunos juntamente com as escolas”, completou a coordenadora.

Desde criança o estudante de veterinária, Kleber Lucas, 22, já rabiscava em seus cadernos, e os seus pais observavam seu talento com o desenho. Tentaram colocá-lo em um curso de desenho, mas não tinham condições financeiras para pagar o valor pedido pelo curso. Os pais não deixaram de apoiá-lo e por intermédio de sua força de vontade, buscou por meio de tutoriais via internet, revistas de colorir e outros recursos.

E foi por intermédio da Escola de Ensino Médio Lourival Pinho que foi identificado pelo NAAH/S com habilidade na área de artes/desenho, tendo a oportunidade de expor seus trabalhos durante esse período e em outros momentos.

“Desenhava desde os 7 anos, rabiscando, o Pica-Pau, a Turma da Mônica e meus pais me incentivaram. Mesmo com a vida acadêmica sempre dou um jeito de colocar a arte no que eu faço, pois faz parte de mim”, ressaltou Kleber Lucas que presenteou a primeira-dama com um dos quadros.

Jackson Viana, fundador da Academia Juvenil Acreana de Letras (AJAL), foi identificado com altas habilidades em produção textual e liderança, aos 14 anos fundou a instituição de cultura voltada para jovens escritores, ajudando na publicação de livros.

“A relação com o NAAH/S é de parceria, a instituição identifica jovens com habilidades na produção textual e estes são recebidos pela AJAL. A maioria dos jovens que chegam até a Academia são identificados com altas habilidades”, declarou Jackson Viana.

A equipe de orientação realiza o trabalho de acompanhamento dos alunos já identificados, tendo hoje oficinas de arte e matemática tanto para os alunos identificados, como os que estão em processo de identificação. Algumas oficinas são oferecidas pelos próprios alunos com o apoio dos professores do NAAH/S.

Ingride Florence foi identificada na área de artes/desenho no ano de 2012 quando estudava na escola Senador Adalberto Sena. Atualmente é estudante do 6º período do curso de Enfermagem.

“Durante minha infância nunca fui incentivada a desenhar. Além disso, não tinha acesso à internet. No período de Ensino Fundamental participei de um concurso escolar de desenho e acabei chamando a atenção da diretora da escola, que entrou em contato com o NAAH/S para uma avaliação e assim, comecei a ser incentivada pelos profissionais do Núcleo”, destacou Ingride Florence.

Este ano o Núcleo teve seu I Workshop de Altas Habilidades com uma profissional de fora, onde foi abordada a necessidade de um olhar sensível para os alunos com altas habilidades e principalmente o emocional. “É necessário reconhecer e estimular o potencial dos nossos alunos, mas principalmente é fundamental buscar compreendê-los em suas particularidades”, finalizou Tais Galdino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *