Publicado em 5 de abril de 2018

Reeducandos iniciam limpeza de parques públicos de Rio Branco

“Este projeto foi muito bom pra estimular a gente a voltar ao meio social, porque muitos veem a gente de uma maneira muito preconceituosa por causa dos erros que foram cometidos lá atrás. Mas acredito que todo mundo que deseja uma segunda chance precisa de uma oportunidade”, relata o reeducando L. R. M., 44 anos.

Só os apenados com bom comportamento são selecionados para o trabalho externo (Foto: Kennedy Santos/Secom)

Ele e mais 24 presos do regime fechado participam, a partir desta quarta-feira, 4, do projeto de limpeza dos parques públicos de Rio Branco mediante a supervisão do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen). A ação é resultado de uma parceria entre o Iapen, o Corpo de Bombeiros, a Secretaria de Obras Públicas (Seop) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), que resultou na primeira modalidade do curso de operação e manutenção de roçadeiras aplicado a reeducandos que apresentam bom comportamento dentro da unidade prisional.

L. R. M. está há dois anos no regime fechado e deve cumprir pena até dezembro deste ano. Acostumado a trabalhar nos serviços internos da unidade, como nos cuidados das hortaliças, ele vê a oportunidade das capacitações como um caminho para voltar a conviver em sociedade e retornar ao seio familiar, onde lhe esperam a esposa, uma filha e uma neta. “Quem deseja seguir um novo rumo ao lado da sua família precisa se agarrar a essas oportunidades, e é isso que estou buscando fazer”, afirma.

Ressocializar é o caminho

O curso, que certificou 25 reeducandos, foi ministrado há uma semana com aulas teóricas e práticas, mediante o que prevê as normas reguladoras de segurança. De acordo com o diretor-presidente do Iapen, Aberson Carvalho, o objetivo é inserir todos no trabalho de manutenção de espaços públicos. “Hoje demos início a esse trabalho com seis deles na roçagem do Parque da Maternidade, mas daremos continuidade a esse cronograma para oferecer suporte aos órgãos que cuidam da infraestrutura desses locais”, disse.

Parceiro da ação, o Corpo de Bombeiros monitora a realização dos trabalhos dos apenados. “Acredito que esse é o caminho para ressocializar mesmo, oferecer oportunidades. E é nesse sentido que estamos estreitando essa parceria para capacitação de mão de obra”, completou o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Antônio Velásquez

Morador da capital, Eliézer elogiou a iniciativa (Foto: Kennedy Santos/Secom)

Ao caminhar pelo Parque da Maternidade, o pastor evangélico Eliézer Barros se deparou com o trabalho dos reeducandos e deu sua opinião acerca da iniciativa. “Isso é muito importante tanto para a vida deles, que cumprem medidas, quanto para a sociedade, porque eles precisam ser reintegrados, afinal, terão a continuidade de suas vidas quando saírem do sistema prisional. Por isso, acho que é um projeto que precisa ser levado adiante”, pontuou.

 

Rayele Oliveira – Agência de Notícias do Acre

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)