Publicado em 6 de maio de 2013

Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas é lançado na capital

Com objetivo de ampliar o atendimento às pessoas com transtornos decorrentes do uso abusivo de álcool e outras drogas, bem como a seus familiares, o governo do Estado, em parceria com o Ministério da Saúde, inaugurou nesta segunda-feira, 6, o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas – Capsad III, que a partir de agora disponibilizará o serviço 24 horas.

O evento contou com a presença do governador Tião Viana, da secretária de Estado de Saúde Suely Melo, do prefeito Marcus Alexandre, dentre outras autoridades do estado.

De acordo com a gerente da Divisão Estadual de Saúde Mental, Ana Cristina Sales, o Capsad III visa o cuidado aos usuários de álcool e drogas, o que exige condições que respeitem o indivíduo enquanto pessoa, possibilitando sua inclusão social, profissional e familiar, ampliando as ações em saúde mental na sua intensidade e diversidade.

A unidade já funcionava como Capsad II, apenas de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, mas graças aos incentivos financeiros disponibilizados por meio de parceria entre o governo do Estado e o governo Federal, passou por uma reforma e ampliação do espaço, para atender 24 horas, inclusive aos fins de semana e feriados. Em 2012, foram atendidas cerca de 1.289 pessoas. A expectativa é que esse número aumente muito mais, após a ampliação da unidade.

“Podemos considerar um grande avanço nas possibilidades de continuidade no cuidado para as pessoas que procuram tratamento nos serviços de saúde. A lógica matricial do Capsad III é uma grande esperança para os pontos de atenção da Rede de cuidados local e regional que apresenta uma grande demanda em relação ao uso de drogas como problemática transversal”, ressaltou Cristina.

História do Capsad

Criado em dezembro de 2002, coordenado pela Secretaria de Estado de Saúde, em parceria com várias outras Secretarias, o CAPSad II iniciou suas atividades em dois turnos, oferecendo 60 vagas para crianças e adolescentes até 19 anos, objetivando a reintegração destas à família, comunidade e mercado de trabalho, bem como a redução de conflitos com a lei. Em 2009, o atendimento foi estendido a todas as faixas etárias, devido ao grande número de adultos necessitados de atendimento.

Assim, partindo da necessidade de ampliar o atendimento aos dependentes químicos e através das pactuações advindas do “Comitê Executivo do Plano ‘Crack: É possível vencer no Estado do Acre”, tornou-se possível a instituição do Capsad III, que terá capacidade para atender 40 pacientes por turno com limite máximo de 60 por dia; acolhimento noturno, aos feriados e fins de semana, podendo o paciente permanecer por até 10 dias corridos ou 14 intercalados, em um período de 30 dias.

 

(Álefe Souza (Assessoria Sesacre)

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)