Diagnóstico do PCR da hepatite C já é realizado no Acre

A saúde pública no Acre vem passando por mudanças significativas ao longo dos anos, principalmente na área de apoio ao diagnóstico, na qual o governo do Estado, em parceria com o governo federal, tem investido em equipamentos de alta tecnologia para garantir exames de média e alta complexidades realizados aqui mesmo.

Este investimento diminui o tempo de espera, amplia o acesso aos serviços de saúde e oferece comodidade ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS), que não precisa ser encaminhado a outro Estado para realizar certos procedimentos.

Laboratório Central de Saúde Pública do Acre é equipado para diagnóstico do vírus da hepatite C (Foto: cedida)

Laboratório Central de Saúde Pública do Acre é equipado para diagnóstico do vírus da hepatite C (Foto: cedida)

Um exemplo disso foi a implantação do diagnóstico do PCR (exame de sangue que serve para detectar o vírus e mostrar a carga viral da doença no organismo humano) da hepatite C (HCV), em junho deste ano, no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), que vai garantir agilidade e qualidade no tratamento das pessoas portadoras desse vírus no Estado.

“Esse diagnóstico é de suma importância para o Acre, uma região endêmica para hepatites virais. Com a implantação desse serviço, as pessoas portadoras do vírus terão mais agilidade no tratamento”, esclareceu a gerente-geral do Lacen, Cláudia D’Avila. Ela acrescenta ainda que os equipamentos destinados ao Laboratório de Biologia Molecular são de última geração, bem como a metodologia e os reagentes utilizados.

Segundo Cláudia, desde 2010, o Lacen já realiza o PCR da hepatite B (HBV), também em parceria com o Ministério da Saúde, e com resultados satisfatórios. O Acre está entre os 12 Estados do Brasil a realizar esses diagnósticos de alta complexidade.

No período de 2012 a setembro deste ano, foram realizados cerca de 3.600 exames de PCR da hepatite B (HBV). O PCR da hepatite C (HCV) foi implantado em junho deste ano e já foram realizados 360 exames.

Antes da implantação dos PCRs no Lacen

A gerente-geral do Lacen conta que anteriormente os exames de HBV eram encaminhados para o laboratório de referência no Estado da Bahia e geravam custo alto com o transporte das amostras, que necessitavam ser acondicionadas em gelo seco. Como o Estado não possui fábrica, o gelo era solicitado a uma empresa especializada em Minas Gerais. Já os exames de HCV eram terceirizados por empresa especializada contratada por meio de processos licitatórios.

“Esse trâmite também gerava custos elevados e os resultados só chegavam após 30 dias. O governo do Estado, visando agilizar a demanda nessa área e oferecer resolutividade ao problema de saúde dos acreanos, buscou junto ao Ministério da Saúde implantar o serviço aqui no Estado, diminuindo o tempo de espera pelo resultado do exame e ampliando o acesso daqueles que necessitam desse tipo de diagnóstico”, esclarece Cláudia.

Diferencial

O Setor de Biologia Molecular do Lacen realiza, além dos PCRs da hepatite B e C, o PCR dainfluenza e os exames de carga viral do HIV e conta com o apoio de biomédico e/ou bioquímico, além de profissionais técnicos de laboratórios capacitados pelo Ministério da Saúde.

Em menos de seis meses de implantação do diagnóstico de PCR já foram realizados no estado aproximadamente 400 exames (Foto: cedida)

Em menos de seis meses de implantação do diagnóstico de PCR, já foram realizados no Estado aproximadamente 400 exames (Foto: cedida)

Hoje, por dia, são atendidos 40 pacientes portadores desses agravos pelo Setor de Atendimento e Coleta do Lacen criado, especificamente para oferecer um serviço humanizado e acolhedor.

Os resultados dos exames de HCV são entregues em sete dias corridos e os resultados de HBV em sete dias úteis, atendendo as normativas do Ministério da Saúde que visam s qualidade para o tratamento dos pacientes.

O laboratório também realiza o controle externo da qualidade (ensaio de proficiência) dos seus exames, que garante a qualidade, a segurança e a confiabilidade dos resultados.

Programações futuras

Funcionários do Setor de Biologia Molecular já foram capacitados pelo Ministério da Saúde e em breve irão implantar o PCR da meningite. Outra novidade será a implantação do PCR da hepatite D, visando atender as solicitações dos médicos infectologistas e portadores desse vírus.

(Agência de Notícias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *