Governo e prefeitura de Rio Branco apoiam tradicional réveillon da Base

Há mais de 30 anos, os moradores do bairro Base, em Rio Branco, realizam uma festa de réveillon. A comunidade toma a principal rua do bairro, confraterniza e assiste a tradicional queima de fogos.
Neste ano, como forma de valorizar o tradicional evento, a prefeitura da capital e o governo do Estado se uniram para apoiar a realização da festa.
A programação segue, a exemplo das demais edições, com queima de fogos e show de bandas locais. Próximo ao local do evento, é realizada a Feira Natalina, da economia solidária, no calçadão do Novo Mercado Velho, o que garante opção de alimentação aos participantes do réveillon.
A presidente da associação de moradores do bairro, Rossilene Dantas, explica que a própria comunidade cuida de cada detalhe da festa.
“Nós estamos acostumados a nos reunir e organizar cada detalhe do evento, e esse ano não será diferente. O importante é que contaremos com o apoio do governo e da prefeitura, o que vai deixar a nossa festa mais bonita, com a tradicional queima de fogos, que nesse réveillon será aqui na Base”, ressalta.
Trânsito e policiamento também devem ser reforçados para garantir que a comunidade mantenha a tradição de ter um réveillon sem violência ou qualquer outro tipo de contratempo.
Giovana Carpaneda é estudante e mora na Base desde quando nasceu. Hoje, com 17 anos, ela revela que não tem vontade de passar o réveillon em outro lugar, se não ao lado de seus amigos e familiares do bairro.
“Sempre temos uma festa tranquila e muito divertida. Aqui, ficam a nossa família, nossos melhores amigos, em clima de confraternização e muita diversão. Eu nunca passei a virada do ano em outro local, e nem quero”, conta.
A secretária de Estado de Turismo e Lazer, Rachel Moreira, destaca que o momento é de austeridade, por isso a decisão do governo e da prefeitura.
“Vivemos um ano de crise em que tanto governo, quanto prefeitura fizeram esforços para cumprir todos os compromissos, mas para isso precisamos fazer algumas escolhas, como essa, por exemplo, de fortalecer um evento tão tradicional com o apoio que nós podemos oferecer no momento”, enfatiza.
Texto: Paula Amanda/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *