Publicado em 1 de abril de 2013

Mulher é flagrada tentando entrar no presídio com armas e drogas

Marilene Lime de Queiroz foi flagrada pelos agentes penitenciários quando tentava entrar no presídio este fim de semana com armas, drogas, celulares e carregadores. Ela ainda chegou a passar pela revista das mulheres, mas caiu na revista dos alimentos.

O material estava escondido em um fundo falso da bolsa. A cena da prisão foi assistida pela filha de apenas 3 anos de idade que acompanhava a mãe na visita do pai, que está preso pela prática de assalto.

Os agentes disseram que em situações semelhantes, as mulheres levam as crianças como estratégia para sensibilizar os profissionais na hora da revista. Marilene já cumpriu pena por participar de um latrocínio (roubo seguido de morte), mas foi solta quatro meses depois por falta de provas que a incriminassem.

Indagada para quem o arsenal seria entregue, a mulher não quis responder. Segundo o coordenador de Segurança do Iapen, Marcelo Lopes, outra bolsa foi abandonada no local da revista, provavelmente por outra comparsa de Marilene, que ao perceber que a parceira do crime havia sido presa – fugiu do local sem ser percebida.

O coordenador de segurança lembra que Marilene estava levando mercadorias valiosas para dentro do presídio. A faca, segundo ele, serve para se proteger dos inimigos, maconha é produto de luxo, e os carregadores e os celulares é a conexão com o mundo externo, servindo principalmente para arquitetar crimes do lado de fora.

(Ronaldo Guerra)

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)