Sindicato da saúde vai discutir em assembleia situação dos trabalhadores do pró saúde.

Ronaldo Guerra-EcoacreTV

Se o governo não sentar para negociar com a categoria, não está descartada uma greve por tempo indeterminado. No ano passado o ex governador, Tião Viana, chegou a demitir vários servidores do pró saúde, o sindicato entrou com uma ação na justiça e conseguiu barrar as demissões, na época, foi dado um prazo para o governo regularizar a situação dos trabalhadores.

Gladson Cameli prometeu não só regularizar a situação, como pagar os salários e o 13º. o prazo em questão encerra em março, desde o início do ano, a direção do SINTESAC tenta agendar um encontro com o governador para tratar dessa questão, mas o chefe do executivo está protelando o encontro.

Nesta quinta-feira, os trabalhadores do pró saúde participam de uma assembleia geral no auditório do COREN para tratar especificamente dessa questão, Adailton Cruz afirma que a decisão é da categoria, o sindicato só faz os encaminhamentos, a única exigência é que o governador se faça acompanhado de membros da equipe jurídica.

O sindicalista também comentou a situação dos servidores do hospital do Juruá, que é gerenciado por uma associação de freiras, segundo Adailton Cruz até agora os salários de janeiro não foram pagos, a greve, está em andamento. Nessa situação estão 1.297 profissionais, são médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, motoristas e maqueiros.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *