Publicado em 25 de fevereiro de 2013

Timão espera resposta sobre recurso nesta segunda-feira

O Corinthians deve saber até o fim desta segunda-feira se poderá ou não ter torcedores no duelo desta quarta-feira contra o Millonarios, no Pacaembu, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores. Ao menos essa é a expectativa do diretor jurídico do clube, Luiz Alberto Bussab. Em entrevista ao Bandsports, ele demonstrou confiança no recurso apresentado pelo Timão.

“A gente teria até o final do dia de hoje uma resposta sobre o nosso recurso. Vamos acreditar que até o final da tarde venha uma resposta e que ela seja positiva. A gente ainda acredita que pode reverter na totalidade. Mas eles realmente podem dar uma diminuída na extensão da liminar. Por isso temos que aguardar”, disse.

Bussab acredita que o Corinthians não pode ser punido de jogar o torneio com portões fechados antes de apresentar sua defesa no caso que culminou na morte do torcedor boliviano Kevin Espada.

“O que a gente entende é que essa punição pode vir no final do processo com uma decisão definitiva. Se daqui a 60 dias, como eles estão dizendo que vai acabar o processo, vier uma punição, seja ela pecuniária ou de fazer um jogo sem torcida, ela pode ser aplicada depois de ter ouvido minha defesa e do processo ter um regular andamento. Do jeito que foi feito, no nosso entender não é cabida”, encerrou. 

Entenda o caso

Um triste incidente manchou a história do futebol na noite desta quarta-feira. Durante a estreia do Corinthians na Libertadores, contra o San José, na Bolívia, o torcedor local Kevin Beltran Espada, de 14 anos, morreu depois de ser atingido no olho por um sinalizador. O ocorrido pode resultar na perda de pontos ou até na exclusão do Timão no torneio continental.

Isso porque, de acordo com a polícia boliviana, o artefato foi lançado pela torcida corintiana que foi ao Estádio Jesús Bermudez, na cidade de Oruro. O jovem era nascido em Cochabamba, cidade onde o Timão se concentrou para sua estreia. Ele viajou para assistir à partida e foi atingido no olho pelo artefato. O torcedor foi levado ao Hospital Obrero, em Oruro, mas não resistiu aos ferimentos.

O ocorrido, obviamente, gerou revolta da torcida do San José e total comoção do Corinthians. Logo que ficaram sabendo do incidente, os torcedores começaram a chamar os corintianos de “assassinos” e os juraram de morte. Os atletas que não haviam sido relacionados e alguns membros da comissão técnica tiveram que sair do camarote onde assistiam à partida para não serem agredidos.

Enquanto isso, o técnico Tite e o gerente de futebol Edu Gáspar choravam pelo ocorrido. O treinador chegou a dizer que trocaria o título mundial que conquistou no ano passado pela vida do garoto. Já o dirigente lembrou que poderia ter acontecido com qualquer um e não conseguiu segurar a emoção ao mencionar que seu filho também vai a estádios de futebol, além de oferecer assistência para a família da vítima.

Em seu site oficial, o clube divulgou uma note de pesar. Apesar da morte do garoto, no entanto, o diretor de futebol Roberto de Andrade não acredita muito em uma punição ao Timão.

 A polícia deteve 12 torcedores do Corinthians, que permanecem na Bolívia até a apuração do caso. 

 (Band)

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)