Acre assina compromisso de desmatamento ilegal zero com governo federal

O governadores Tião Viana, do Acre, e Pedro Taques, do Mato Grosso, assinaram nesta segunda-feira, 7, em Paris, o termo de compromisso de desmatamento ilegal zero com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

A solenidade foi realizada na Embaixada do Brasil na França, em um dos eventos paralelos da Conferência do Clima, COP21. “Vivemos um novo momento que pede que tenhamos um novo escopo de cooperação nacional e internacional”, destacou a ministra.

A declaração conjunta por desmatamento ilegal zero prevê ações nos âmbitos federal e subnacional. Serão implementadas políticas para a eliminação do desmatamento ilegal e a compensação pelas emissões de gases do efeito estufa, com prazo até 2030.

Para os estados que assinaram nesta segunda-feira esse primeiro acordo do país, o prazo é 2020, mas o Acre quer apresentar os resultados até 2018. “Estamos nos empenhando para conseguir reduzir o desmatamento até 2018. Para isso, criamos uma força-tarefa permanente que vai  potencializar a conservação da floresta e qualidade de vida da população.  Para isso, precisamos estar unidos e que todos os estados façam sua parte”, ressaltou o governador Tião Viana.

A solenidade foi acompanhada por secretários de Estado e pelos parlamentares acreanos Jorge Viana, vice-presidente do Senado, e Alan Rick Miranda, deputado federal. “O Acre tem uma história socioambiental que é uma referência, porque entende a floresta como um ativo econômico e procura usar melhor as áreas já desmatadas”, ressaltou Jorge Viana.

Para Alan Rick os resultados são decorrentes de políticas públicas efetivas. “Conforme o governo trabalha para incentivar o manejo e o desenvolvimento sustentável, os produtores fazem cada vez mais o uso dos recursos naturais de maneira correta, por isso o Acre tem reduzido consideravelmente o desmatamento ilegal”, salientou.

O compromisso prevê o enfrentamento ao desmatamento ilegal, combater a mudança do clima e promover o desenvolvimento sustentável na Amazônia brasileira. “Faremos a recomposição de seis milhões de hectares. É uma meta ousada, mas temos condições de fazer isso”, destacou o governador Pedro Taques.

Os estados do Acre e Mato Grosso e o governo federal acordaram a criação de um grupo de trabalho para detalhar os compromissos mútuos e posterior acompanhamento da implementação das medidas previstas na declaração.

Por Celis Fabricia

(Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *