Após 12 anos Brasileia aprova Plano de Saneamento Básico

Foto: Reprodução

A Prefeitura de Brasiléia desde o início da atual gestão, vem trabalhando para que o Projeto de Saneamento Básico, seja executado em Brasileia. Nestes três anos a equipe de Planejamento municipal, vem cumprindo diversas exigências, enviadas pela Funasa, para que o referido Plano fosse concluído dentro do prazo estabelecido e enviado ao Poder legislativo para aprovação pela casa. O Plano de Saneamento é um mecanismo para captação de recursos, junto ao Governo Federal.

“Esse é  um momento muito importante para nossa gestão, a Câmara Municipal aprovou nesta terça-feira,  o projeto do Plano de Saneamento Básico de Brasiléia,  foram inúmeras reuniões com a participação de nossa equipe e sociedade civil organizada, na ocasião, podemos discutir, e juntos construirmos o tão sonhado plano de Saneamento, agradecemos a todos que fazem parte do comitê,  que sempre se dispuseram a nos ajudar a realizar o sonho de hoje poder dizer que Brasiléia tem um Plano de Saneamento Básico, que irá  beneficiar a sociedade,  contemplando diversas áreas: social, ambiental e econômica. Nossos agradecimentos ao vereadores que entenderam a importância do projeto para nossa cidade ”, disse a prefeita de Brasiléia Fernanda Hassem.

O projeto de Saneamento Básico tem como uns dos objetivos permitir aos usuários o acesso a serviço público de saneamento básico com características e padrões de qualidade determinados pela legislação, planejamento regulação com conjunto dos serviços públicos: de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, abastecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem e manejo de águas pluviais urbanas, incluídas as respectivas infraestruturas e instalações, visa ainda, ações socioeconômica, política social para viabilizar manutenção e continuidade de serviço público, com objetivo de universalizar acesso ao saneamento básico;

Esse serviço público de saneamento básico será considerado universalizado no município,  quando assegurar no mínimo, o atendimento das necessidades básicas vitais, sanitárias e higiênicas de todas as pessoas, independentemente de sua condição socioeconômica, em todas as edificações permanentes, urbanas independentemente de sua situação fundiária.

Fonte: SECOM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *