Defensoria pública da união entra com petição e grupo de venezuelanos não será mais deportado

Defensoria pública da união entra com petição para impedir deportação de um grupo de venezuelanos que entrou em solo brasileiro por Assis Brasil, o defensor da DPU, Matheus Nascimento, lembra que são pessoas que se enquadram na lei de refugiados amparados pela constituição federal.

Foi um delegado da polícia federal compadecido com a situação dos imigrantes que relatou ao defensor, Matheus Nascimento, da defensoria pública da união, que o grupo de venezuelanos seria deportado para Iñapari, no Peru, por ter entrada de maneira ilegal no brasil, sábado passado, contrariando a portaria do governo brasileiro que proibi o acesso por terra de qualquer pessoa estrangeira independente da nacionalidade.

O grupo atravessou a ponte entre Iñapari e Assis Brasil, apanhou um taxi e chegou em rio branco sem ser parado por nenhuma barreira policial, só quando chegou em rio branco e foi tentar se regularizar na delegacia de imigração da polícia federal é que ficou sabendo que seria mandado de volta para o peru, por ter entrado sem autorização no brasil, nesse período de pandemia.

A DPU entrou com uma ação ordinária com pedido de tutela de urgência e o juiz deferiu a favor dos estrangeiros, agora eles vão poder seguir viagem.

Para o chefe da DPU no acre, essa portaria assinada pela presidência da república vem sendo questionada por organismos internacionais de direitos humanos, pela própria defensoria da união, por ser contra o que preconiza a constituição federal, a lei de migração e a lei de refúgio.

Reportagem/ Ronaldo Guerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *