Dengue: população deve ficar alerta com o início do período chuvoso

O inverno amazônico traz consigo, além de muita chuva, o perigo das epidemias de dengue. Para evitar os transtornos que a doença causa, é necessário tomar certos cuidados – que muitos já conhecem, mas nem sempre põem em prática.

Nesse período do ano, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), em parceira com o município, intensifica as ações de combate à proliferação da larva do famigerado mosquito Aedes Aegypti, mas a colaboração da população é fundamental para o sucesso das campanhas.

“Conseguimos sair do risco de epidemia da doença em junho deste ano, mas continuamos em alerta. Portanto, a população deve permanecer vigilante, mantendo as recomendações do governo e da prefeitura, como uma atitude de prevenção, atentando, em especial, para as caixas d’água”, alerta a gerente do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Controle de Endemias, Thayna Holanda.

Segundo a gerente, em pesquisa realizada pelo Levantamento de Índice Rápido (LIRAa),  as caixas d’água no nível do solo sempre são apontadas como os depósitos predominantes das larvas do mosquito.

Guerra contra a dengue

Ações como as atividades de Ponto Estratégico (PE’s), trabalhadas quinzenalmente em 2 ciclos mensais, por meio de levantamento e controle químico e a distribuição de tampas de caixa d’água, têm colaborado para a diminuição no número de casos da doença.

Outras atividades importantes são a Ação de Inverno, lançada em janeiro de 2013 pelo governo e prefeitura, para recolhimento de lixo e entulho nas ruas da capital; e a contratação dos agentes da comunidade, que buscam sensibilizar a população através de ações de educação em saúde.

“O esforço conjunto do governo do Estado e município tem levado a diminuição da infestação do mosquito transmissor e, consequentemente, do número de casos notificados de Dengue. Em 2012 e 2013, até o momento, não foi notificado nenhum óbito por dengue e nenhum caso grave da doença”, ressalta.

Pequenos cuidados fazem toda a diferença

 Mantenha caixas d’água, poços artesianos ou qualquer outro tipo de reservatório de água constantemente limpos, fechados e bem vedados;

– Faça furos em pneus não utilizados para evitar o acúmulo de água;

 Não deixe água acumulada na laje de sua residência;

– Remova folhas, galhos ou qualquer outro material que impeça a circulação de água nas calhas da residência;

– Não deixe água parada nas vasilhas que ficam em baixo do vaso de plantas – mantenha-as secas ou cheias com areia;

 Piscinas devem ser tratadas semanalmente com cloro ou esvaziadas – caso não sejam usadas;

 Garrafas, baldes, latas, vasilhas e copos devem ser guardados em locais cobertos, sempre de cabeça para baixo;

 Evite jogar lixo em terrenos baldios;

 Denuncie qualquer situação que você não possa resolver aos agentes de saúde.

(Agência de Notícias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *