Publicado em 20 de dezembro de 2012

E se não acabar…?

O assunto está na boca do povo e no topo dos assuntos mais comentados das redes sociais. As profecias Maias sobre o fim do mundo, previsto para esta sexta-feira (21 de dezembro de 2012) estão preocupando muita gente.

Prova disso é que duas das mais importantes revistas semanais do Brasil deram destaque ao assunto – no caso da IstoÉ, o tema foi capa. A Veja, revista brasileira de maior tiragem, publicou a reportagem “Faltam poucos dias”.

Entretanto, na minha humilde opinião, a pergunta não é se o mundo vai acabar, e sim, se ele vai continuar como está? A grande verdade sobre o fim do mundo é que ele só acaba para quem morre. Acabou para os Maias, Incas, Nostradamus, Stifel, Stoeffler, entre tantos outros que previram o último dia de vida na terra.

O mundo acaba todos os dias para milhares de pessoas inocentes. Atentados, brigas de trânsito, discussões familiares, ciúmes, vingança, entre tantos outros fatos que ceifam a vida de pessoas inocentes. Que exista maldade no mundo não há duvidas, que as pessoas desejam mal umas às outras também não. Mas até onde vai essa maldade? Essa covardia, por exemplo, de atirar contra crianças?

Não seria o presságio do fim da humanidade, um alerta? É bom lembrar que essas falsas profecias são, na verdade, o cumprimento de um anúncio verdadeiro de alguém que jamais errou, Jesus Cristo. Ele mesmo disse que “dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão somente o Pai.” Mateus 24:36. O que comprava o fim do mundo.

Pense nisso. Aproveite essa nova chance de vida para renovar a alma. Mudar os princípios. Ser mais tolerante em casa, no trânsito, no trabalho. Aprenda a contemplar as coisas belas deste mundo, a começar pela vida. Existe coisa mais perfeita que um sorriso de uma criança? Sim, você ser o motivo para ela sorrir. Ame mais. Abrace mais. Ajude quem precisa. Compartilhe o bem, mas acima de tudo, creia em Deus.

(Lane Valle)

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)