Empresas de ônibus estão há quase três meses sem pagar salários aos servidores

Foto: Alexandre Martins

A crise provocada pela pandemia do novo Coronavírus só agravou a situação financeira das empresas de ônibus que exploram as linhas urbanas de Rio Branco. Mesmo com o valor da tarifa considerado elevado, os empresários estão há quase três meses sem pagar os salários dos trabalhadores. A direção do sindicato denuncia que a categoria está passando privação, até os convênios com açougue, médicos e supermercados estão suspensos há seis meses.

Do total de 162 carros apenas 47 estão circulando, isso representa cerca de 25% da frota. O setor gera cerca de 700 postos de trabalho diretos, mas indiretamente contempla 3 mil pessoas. Existe uma lei que em situações excepcionais como esta, as empresas arcam com 30% dos salários e o Governo Federal entra com 70%, nesses casos específicos o teto pago é de R$ 1.800, isso por que as duas empresas têm um faturamento anual acima dos R$ 4 milhões de reais. Mas até agora ninguém recebeu nada.

Francisco Marinho, Presidente do SINTTPAC

Enquanto os transportes coletivos não voltam a normalidade os motoristas vivem a expectativa de uma onda de demissões, embora as empresas não tenham acenado com essa possibilidade. Francisco Marinho, presidente do SINTTPAC, lembra que a categoria não fala em paralisação, a prioridade agora é conseguir comida para as centenas de famílias.

Reportagem: Ronaldo Guerra / Alexandre Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *