Engraxate: profissão que resiste ao tempo

A profissão de engraxate ainda resiste ao tempo é se mantém ativa em várias cidades brasileiras. Em Rio Branco, o tradicional Quiosque dos Engraxates, localizado na Praça dos Povos da Floresta, em frente à Assembleia Legislativa, foi reinaugurado pelo governo em 2012. Dezenas de pessoas, na maioria funcionários de órgão públicos próximos, frequentam diariamente o local.

O espaço foi reformado e ampliado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras Públicas (SEOP). A equipe de profissionais do quiosque é composta por seis engraxates.

“Temos clientela muito boa, tanto de jovens como de adultos, e não acredito que a profissão vai acabar”, comentou Enivaldo Oliveira (direita)

Enivaldo Oliveira, que trabalha na praça há 20 anos, falou que o seu ofício ainda é bastante procurado na capital. “Temos uma clientela muito boa, tanto de jovens como de adultos, e não acredito que a profissão um dia acabe. Além desse ponto, existem muitos engraxates ainda em atividade nas ruas da cidade. O quiosque melhorou muito com a reforma. Atualmente o espaço é climatizado e os frequentadores podem esperar para serem atendidos lendo jornais ou revistas. Situação bem diferente de alguns anos atrás quando comecei a trabalhar aqui. Graças a Deus conseguido sobreviver com o que ganho”, comentou.

Para o estudante Marcos Pinheiro, o costume de engraxar os sapatos foi adquirido através do pai. “Sempre vi meu pai utilizando esse serviço e foi dessa maneira que adquiri a mania de polir os sapatos. Acho que essa tradição que já existe há muito tempo não acabará”, disse.

Sobre o ofício

A profissão de engraxate surgiu na França, em 1806. Um operário poliu as botas de um general em sinal de respeito e ganhou uma moeda de ouro como recompensa. No Brasil, a atividade surgiu em São Paulo com a imigração italiana, por volta de 1877. Os estrangeiros percorriam as ruas de seis da manhã, até altas horas da noite, com uma pequena caixa de madeira onde levavam latas de graxa, escovas e outros objetos.

Dell Pinheiro – dell.81@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *