Escolinhas de goleiros do Acre buscam novos talentos

Os olhos não desviam da bola e sobre as traves a concentração é total. Cada movimento exige agilidade, velocidade e precisão na hora da defesa.

É embaixo de uma trave móvel, instalada na lateral do Estádio José de Melo, que 20 adolescentes dividem o mesmo sonho. Tornar-se goleiro de futebol. Os garotos, que conciliam a rotina dos estudos com os treinamentos, fazem parte da Escolinha de Goleiros do Acre.

São meninos de 13 a 17 anos, que buscam nos ídolos a inspiração para seguir na carreira. Estudante do 1º ano da Escola João Calvino, Felipe Dias de apenas 15 anos, já conquistou um feito.

Ramos aos 17 anos é considerado uma promessa Foto: Neto Lucena/Secom

Este ano ele fez uma partida pelo time profissional do São Francisco no Campeonato Estadual. “Minha maior inspiração é o Cássio, goleiro do Corinthians. Meu sonho é chegar a um grande clube do futebol brasileiro”, disse Felipe.

Felipe e os outros 19 arqueiros são treinados pelo ex-goleiro Klowsbey Veigas. Com passagens pelos principais clubes do estado, o ex-camisa 1 do Rio Branco, que estreou com 16 anos nos clubes profissionais, hoje busca revelar novos talentos para futebol local.

A Escolinha trabalha a formação de goleiros para o futebol local Foto: Neto Lucena/Secom

O trabalho realizado por Klowsbey na escolinha de goleiros do Acre, que também conta com o apoio do ex-goleiro Walter, é voluntário. “Quando encerrei minha carreira, quis me dedicar à formação de novos goleiros, começar a treinar com a base para passar todas as técnicas e fundamentos da posição”, disse o ex-atleta.

Aos 17 anos, o goleiro Ramon é considerado uma revelação da escolinha. Assim como Felipe, o jovem goleiro já fez sua estreia no futebol profissional. “O desafio é diário, a posição é difícil, mas esse é meu sonho”, disse Ramon.

A escolinha de goleiros do Acre foi fundada no ano passado. Além de trabalhar o atleta, os treinadores buscam também formar cidadãos.

O ex-goleiro Klowsbey é quem coordena o projeto Foto: Neto Lucena/Secom

Fonte: Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *