Ex-presidente da associação dos pacientes renais afirma que 15 pessoas ligadas a entidade morreram infectadas pelo coronavirus

Isso só teria acontecido a falta de um plano de ação da SESACRE. Logo que surgiram os primeiros casos de coronavirus no acre, Vandelí Ferreira da Silva, ex-presidente da associação dos pacientes renais crônicos, foi até a secretaria estadual de saúde para solicitar de Alisson Bestene um plano de ação para esse público específico vulnerável naturalmente por conta da deficiência do órgão, na época, foi solicitado teste rápido e uma van para transportar os pacientes que testaram positivo para a doença, evitando assim o contágio coletivo, Vanderli afirma que as reivindicações foram ignoradas.

Na van circulavam pessoas com a covid-19 e outras sem a doença, resultado: houve uma contaminação generalizada, a indignação do ex-presidente da associação é que o ministério da saúde chegou a enviar recursos a SESACRE para fazer essa proteção, mas até hoje os pacientes não sabem aonde o dinheiro foi utilizado. Nas contas do ativista foram 15 ex-filiados da associação que perderam a vida de maneira brusca. Esse drama das famílias poderia ter sido evitado se as autoridades estivessem alerta, embora os dados não sejam oficiais o número de vítimas pode ser bem superior.

Além de testes rápidos e medicamentos, os pacientes crônicos exigem também equipamentos de proteção individual. Os recursos do governo federal têm esse objetivo.

Reportagem/ Ronaldo Guerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *