Falta de leite de caixinha aumentou a procura pelo pasteurizado

Devido à cheia do Rio Madeira e à interdição da BR-364, o leite de caixinha esteve em falta nos supermercados acreanos. Com isso, a Copel (Cooperativa de Produtores de Laticínios no Acre), que abastece a capital, teve que aumentar a produção do leite pasteurizado para atender a demanda. A bacia leiteira não enfrenta nenhuma crise na produção, mas, segundo o presidente da Copel, Ezequiel de Oliveira, a demanda está sendo bem maior que a produção.

Ezequiel explica que, no verão, a Copel produz cerca de 17 mil litros de leite por dia. Já no inverno, a produção cai até 40%. Logo, não há como dobrar a produção nesse período de chuva. “Na medida do possível, conseguimos aumentar a quantidade para atender melhor a população neste período crítico do abastecimento. Os clientes prioritários, como as 120 escolas públicas com a merenda escolar, que consomem 8 mil litros de leite por semana, e a rede de supermercados Araújo, continuam sendo abastecidos normalmente”, relatou.

Na terça, 7, Rio Branco recebeu 53 toneladas de leite de caixinha.

Agência de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *