Gladson apresenta projeto de nova maternidade para superintendente do Ministério da Saúde

A construção de uma nova maternidade e hospital especializado na saúde da mulher tem sido tratada com prioridade pelo governador do Estado do Acre, Gladson Cameli. Nesta terça-feira, 8, o gestor apresentou o projeto da futura unidade ao superintendente regional do Ministério da Saúde, Éden Carlos Barros, durante reunião realizada no Palácio Rio Branco, que contou com a participação do secretário de Saúde, Alysson Bestene; do secretário de Desenvolvimento Urbano e Regional, Victor Bonecker; e do servidor do Ministério da Saúde, Halley Dias.

Governador apresentou o detalhamento do projeto durante a reunião Foto: Diego Gurgel/Secom

O governador não vem medindo esforços para oferecer atendimento público de qualidade para a população. Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, dois novos hospitais foram construídos e inaugurados em menos de 60 dias, um marco histórico na saúde acreana. O mesmo afinco está sendo empregado na finalização do projeto arquitetônico e busca dos recursos necessários para a obra da nova maternidade, que levará o nome da matriarca da família Cameli, Marieta Cameli, falecida em maio deste ano.

“O Estado já tem R$ 15,7 milhões assegurados para a nova maternidade, que também será um hospital especializado no atendimento à saúde da mulher. A nossa determinação é concluir o quanto antes toda a parte de projeto e documentação, para que esta obra seja licitada até o fim do ano. Tenho acompanhado de perto todo o processo e, se Deus quiser, estaremos inaugurando e entregando essa importante unidade nos próximos anos para a nossa população”, explicou Cameli.

Na oportunidade, o governador fez questão de agradecer todo apoio que vem recebendo do Ministério da Saúde e do governo federal. “Quero registrar o meu agradecimento especial ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro Eduardo Pazuello. A União tem feito tudo o que é possível para atender nossas demandas e ajudar o Acre”, declarou.

A estrutura do prédio é bastante vasta e supre a demanda existente pelas próximas décadas. São 13 mil metros quadrados de área construída dividida em quatro andares. A nova maternidade está orçada em R$ 60 milhões e contará com 100 leitos comuns, 10 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), 60 leitos de UTI neonatal, 9 leitos de observação obstétrica, 3 leitos de observação ginecológica, 7 leitos de emergência, 21 consultórios médicos, 2 centros cirúrgicos, refeitório, lavanderia industrial e Casa da Mulher. A unidade será erguida às margens da Via Chico Mendes, ao lado do estádio Arena Acreana, no Segundo Distrito da capital.

Superintendente do Ministério da Saúde elogia projeto da nova maternidade de Rio Branco

O superintendente do Ministério da Saúde parabenizou a ousadia do governador Gladson Cameli na construção de um novo complexo hospitalar e enfatizou que o órgão dará todo o apoio possível para o início das obras. “Esse é um projeto muito importante e que vai beneficiar a população do nosso estado, até mesmo porque precisamos de uma maternidade mais moderna em relação à que possuímos. Estaremos articulando e agilizando, junto ao Ministério da Saúde, todos os recursos necessários para que a obra se concretize”, ressaltou.

Segundo o secretário Alysson Bestene, a Maternidade Bárbara Heliodora, única unidade pública de Rio Branco, foi inaugurada em 1949 e não comporta mais o fluxo de atendimento. Além disso, o prédio é tombando como patrimônio histórico, dificultando ainda mais que intervenções sejam feitas no local. Com a nova unidade, um moderno hospital público estará disponível à população acreana.

“A construção da maternidade é um sonho para o nosso estado e esse assunto vem sendo tratado com muita seriedade pelo governador Gladson Cameli. É uma obra que fará a diferença na saúde porque vai oferecer toda a estrutura para as mulheres e os recém-nascidos. A parceria com o Ministério da Saúde será fundamental para concretizarmos o projeto”, pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *