Golpes financeiros contra idosos crescem 60% na pandemia em todo país

Com o maior uso da internet para realizar atividades cotidianas durante a pandemia criminosos aproveitam o maior tempo online das pessoas, para aplicar golpes. No período da pandemia, as principais vítimas são pessoas idosas.

É aí que começa o golpe, geralmente quem está do outro lado da linha é uma pessoa idosa escolhida pelo criminoso. A conversa é sempre a mesma, oferecendo dinheiro e vantagem, em troca de dados sigilosos da pessoa. A aposentada Francisca Marlene, 69 anos de idade já recebeu vários telefonemas pedindo informações e oferecendo dinheiro fácil, na tentativa de atrai-la para o golpe fatal. A sorte da aposentada é que todas as informações estão com a filha dela.

Um levantamento da FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) revela que na quarentena houve um aumento de 60% em tentativas de golpes financeiros contra idosos. De acordo com informações da entidade, os criminosos abusam da ingenuidade ou confiança do usuário para obter informações que podem ser usadas para que tenham acesso não autorizado a computadores ou informações bancárias.

Há também casos em que o fraudador se apresenta como um “funcionário do banco” e pede para o cliente realizar uma transferência como um teste. Os bancos nunca ligam para clientes para realizar transações.

Reportagem/Demóstenes Nascimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *