Governo define áreas para implementar Programa de Regularização Ambiental

Foto: Reprodução

As visitas técnicas para avaliar propriedades aptas à implementação do Programa de Regularização Ambiental (PRA) no Acre iniciaram neste mês de agosto nos municípios de Acrelândia, Plácido de Castro, Capixaba, Epitaciolândia e Brasileia. O governo do Estado, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, está promovendo encontros para apresentar o PRA para associações e prefeituras.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Israel Milani e técnicos da Sema, visitaram o núcleo da associação de produtores rurais Nova Era e Nova União no município de Plácido de Castro para apresentação do PRA. Já em Acrelândia, a visita técnica aconteceu na prefeitura, com a presença do prefeito Ederaldo Caetano, do secretário de Agricultura e Meio Ambiente do município, Aldir Belo dos Santos, além de técnicos.

“Esses encontros são importantes para firmar parcerias interinstitucionais bem como para apresentação técnica das diretrizes do PRA e do potencial do cultivo de sistemas agroflorestais no processo de recomposição florestal de passivos ambientais em área dos pequenos produtores rurais”, explicou o secretário Israel.

O coordenador de projetos, Roger Reco, e o coordenador do PRA na Sema, André Pellicciotti, também acompanharam a agenda no interior do estado. Exemplares da publicação do catálogo de sistemas agroflorestais da Sema foram entregues e as áreas com potencial de implementação dos projetos de plantio com esses sistemas foram identificadas.

No município de Capixaba também foram observadas as condições dos ramais Zaqueu Machado, da Sementeira e da Limeira. O presidente da Associação Machado Almeida, Laedes da Silva, recebeu orientações sobre as possibilidades de arranjos agroflorestais na recomposição florestal de passivos ambientais para a regularização dos imóveis rurais.

Em Brasileia e Epitaciolândia, os técnicos da Sema e o secretário Israel Milani avaliaram a viabilidade logística para implementação do PRA. “Foram feitas vistorias nos ramais de acesso às áreas para analisar condições de escoamento da produção e mecanização para preparo do solo”, acrescentou André Pellicciotti.

A implementação do PRA no Acre conta com o apoio do projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia, uma parceria do Estado com o Banco Mundial, o Ministério do Meio Ambiente e a Conservação Internacional (CI-Brasil) e financiado pelo GEF (Global Environment Facility), que está inserido em um programa regional voltado especificamente para a Amazônia, envolvendo Brasil, Colômbia e Peru.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *