Governo explica Plano Federativo contra a Covid-19 a prefeitos e discute lockdown no estado

Na tarde de sexta-feira, 8, o governador Gladson Cameli participou de reunião da Associação dos Municípios do Acre (Amac), por videoconferência, que envolveu 15 prefeitos. A pauta foi o impacto da pandemia de Covid-19 nas receitas do estado durante o período de crise.

Segundo noticiou a Agência de Notícias do Acre, os prefeitos foram colocados a par do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus SARS-CoV-2, projeto de lei que, depois de aprovado, vai destinar R$ 60 bilhões para os estados e municípios.

Desse montante, cerca de R$ 522 milhões devem ser encaminhados para o Acre. As gestões municipais estão destinadas a receber R$ 134 milhões do auxílio, enquanto o Estado deverá receber R$ 376 milhões. Parte dos recursos deverá ser destinado para ações de reforço à saúde durante a pandemia de Covid-19, enquanto o restante terá o objetivo de evitar o colapso econômico.

O pacote do governo federal ainda prevê a suspensão dos pagamentos das dívidas dos estados e municípios contratadas com a União até dezembro de 2020 e faz uma reestruturação das operações de crédito interno e externo junto ao sistema financeiro. Como contrapartida, os executivos deverão suspender reajustes salariais aos servidores públicos, não criar cargos, alterar estruturas de carreira, admitir ou contratar pessoal, realizar concursos públicos ou criar auxílios até o final de 2021.

Durante a conversa com os gestores municipais, Gladson Cameli prestou solidariedade aos prefeitos, ressaltando que ao serem registrados 1.177 casos da doença no estado, esse é o momento de união de forças, trabalho juntos e evitando intrigas políticas, mesmo que o ano seja de eleição, em nome do bem da população. Ele ainda recomendou zelo pela administração pública e pediu que sejam redobrados os cuidados administrativos sobre o que pode e o que não pode ser feito durante o período de pandemia, ressaltando a necessidade da manutenção do isolamento social.

“Eu já conversei com infectologistas, já vi vários cenários, estatísticas. Cada caso diagnosticado representa de três a seis infecções não diagnosticadas. E não estamos no pé da ladeira ainda. Eu peço a Deus todo dia que conscientize o povo. A situação é de calamidade mesmo. Eu não vou prometer nada do que eu não possa cumprir, não vou passar responsabilidades minhas para vocês, prefeitos, o que eu vim aqui hoje é pedir, primeiro que cada um tenha compreensão sobre a gravidade dessa pandemia”, disse o governador.

Lockdown

O prefeito de Xapuri, Ubiracy Vasconcelos, que participou da videoconferência, disse em um vídeo divulgado em uma página de rede social da prefeitura que durante a reunião com o governador foi discutida a possibilidade da decretação do chamado lockdown em todo o estado. Vasconcelos afirmou a “drástica decisão” poderá ser tomada depois deste fim de semana, caso os índices de novos casos, assim como de mortes pelo novo coronavírus sigam com o crescimento alarmante dos últimos dias no estado.

“De acordo com o que aconteça nos próximos dias nós poderemos tomar essa tão drástica decisão. No entanto, a lógica é a de que se as pessoas se conscientizarem a ficar em casa e a respeitar os decretos não precisaremos fazer o fechamento total. Agora, se continuarmos desrespeitando o que está sendo orientado pelo Ministério da Saúde, pelos médicos, pelo governo e pelas prefeituras, aí sim, serão tomadas medidas mais drásticas”, afirmou o prefeito de Xapuri.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *