Governo intensifica ações contra desmatamento ilegal na Floresta Estadual do Afluente

O Governo do Estado, por meio do Comitê de Ações Integradas de Meio Ambiente, está presente nas unidades de conservação para monitorar e coibir os crimes ambientais. Na Floresta Estadual do Afluente do Complexo do Seringal Jurupari, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), realizou 12 notificações de invasões na colocação Banana Ruim, no final do Ramal do Açaí, uma das áreas propícias à concessão florestal.

Além dos técnicos da Sema, 21 militares do 4º Batalhão de Infantaria e Selva (4º BIS) e seis técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) trabalharam na missão.

O governador Gladson Cameli determinou total empenho das equipes no combate aos crimes ambientais, uma das medidas adotadas para minimizar os danos causados à saúde pelo coronavírus.

O secretário de Meio Ambiente, Israel Milani, que preside o comitê de ações integradas no Estado, afirmou que as ações estão apenas iniciando. “As instituições de Meio Ambiente fizeram um trabalho educativo durante todo o ano, buscando aproximação com o produtor e com os moradores das unidades de conservação. Estamos trabalhando para mostrar a forma correta de explorar os recursos naturais e quem estiver fazendo errado deverá responder por isso”, disse Israel.

O gestor da Floresta do Afluente, Jurandir Pinheiro, reforçou que é proibido comercializar terrenos dentro da unidade de conservação. “Qualquer negociação comercial dentro da floresta é crime. É preciso fazer esse alerta para que as pessoas não continuem sendo enganadas por oportunistas que insistem em invadir as terras do Afluente”, frisou.

As ações conjuntas entre Estado, prefeituras e as instituições do governo federal estão acontecendo em todo o Acre. A Operação Verde Brasil 2, autorizada pelo Decreto 10.341, de 6 de maio de 2020, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, conta com as Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para prevenir e reprimir delitos ambientais, é coordenada pelo Conselho Nacional da Amazônia Legal.

Ibama

As multas expedidas pelo Ibama entre os dias 14 e 16 de maio somam aproximadamente R$ 528 mil, numa área de 135 hectares. Deste total, 11 hectares foram registrados dentro da Floresta do Afluente. Os valores e dados foram repassados ao gestor da floresta pelo coordenador da missão do Ibama em campo, Weverton Sobral.

Jurupari Afluente

A gestão da Floresta Estadual do Afluente do Complexo do Seringal Jurupari é feita pela Sema. Com 155.120,0610 hectares, está localizada entre os municípios de Manoel Urbano e Feijó e o Decreto 6.808, de 15 de maio de 2017 marca a sua criação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *