Iapen investiga se houve facilitação na tentativa de fuga de presos

 

Foto: Regiclay Saad
Foto: Regiclay Saad

A direção do Instituto Penitenciário de Rio Branco (Iapen) investiga se houve a facilitação por parte dos agentes na tentativa de fuga registrada no último sábado no presídio Francisco de Oliveira Conde. Na ocasião, dois dos fugitivos foram feridos à bala pela equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar, mas não correm risco de morte.  

Sobre a tentativa de fuga, o diretor geral do Iapen, Dirceu Augusto, garantiu que as providências estão sendo tomadas e que tais iniciativas, por parte dos presos, ocorrem de forma rotineira. “O que não é rotina é a reação”, adianta ele, ao se referir à atitude da polícia em atirar.

“Estamos primeiro vendo se houve falha na segurança, se alguém comandou, porque houve e se isto tem alguma coisa a ver com a movimentação dos agentes penitenciários e a operação tartaruga”, comenta. A operação tartaruga traduz a ação lenta que as categorias de trabalhadores adotam para protestar.

“Estamos averiguando caso a caso e se for confirmada a participação do movimento dos agentes, nós vamos tomar providências, o que envolve desde o procedimento administrativo até o inquérito policial. Se não houver danos ao patrimônio às consequências são mais brandas, no caso da lesão corporal a gente vai tratar caso a caso”.

Por Val Sales – Jornal Página 20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *