Mercado Da Castanha Do Brasil Tem Queda Significativa No Acre.

A comercialização da castanha do Brasil caiu drasticamente, no estado do Acre. A lata da castanha que era comercializada em dezembro do ano passado, no valor de R$ 60, hoje está sendo comercializada a R$ 15. E o pior, os produtores não encontram compradores, para o produto.

Conhecida como castanha-do-Pará ou castanha do Brasil, esta semente do grupo das nozes traz uma série de benefícios à saúde. Especialistas garantem que basta uma castanha por dia, para usufruir das benesses do alimento, rico em substâncias antioxidantes, sobretudo selênio.

Principal produto extrativista do Acre, a castanha está passando pelo pior momento em sua comercialização.  O preço da lata (unidade de medida da castanha), que já apresentava sinais de queda no mercado local, reduziu para menos da metade do valor praticado em 2019, nessa mesma época, e muitos extrativistas não conseguem vender toda a produção coletada.

Um exemplo é a exportadora Ribeiro, localizada no bairro cadeia velha, que comprava 180 mil latas de castanha, a cada safra. Na safra 2020, a empresa não comprou 30 mil latas, por causa da queda no preço do produto. Os produtores também não têm interesse em vender, com isso, os prejuízos são incalculáveis, para ambas as partes. Alguns produtores chegaram a pegar adiantamento em dinheiro, mas não tem como pagar.

O imposto sobre o produto é outro obstáculo, que os compradores de castanha estão enfrentando. A secretaria de fazenda taxou o valor do imposto em R$ 6,00 por cada lata de castanha. A exportadora Ribeiro, já demitiu seis funcionários que trabalhavam com carteira assinada, hoje, são os diaristas que fazem o serviço. Em pior situação estão os produtores, que além do preço baixo da castanha, são obrigados a fazer o transporte de caminhão e barco, para entregar o produto, que não compensa vender.

Reportagem/ Demóstenes Nascimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *