MP participa de planejamento de campanha pelo fim da violência contra a mulher

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio da 13ª Promotoria de Justiça Criminal – Especializada no Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher -, é parceiro da Campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher. O objetivo da campanha é chamar atenção da sociedade para o problema da violência contra as mulheres.

Essa semana, a Promotora de Justiça Dulce Helena de Freitas Franco participou de uma reunião com representantes de instituições que compõem a rede de enfrentamento e atendimento às mulheres em situação de violência para definir como essa mobilização será realizada no Acre.

Na ocasião, foi iniciada a elaboração de uma agenda coletiva com as ações a serem realizadas durante a campanha por cada instituição e apresentada a arte de camisetas, outodoors e folders. No Acre, a campanha começa no dia 25 de novembro, data em que se comemora o Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e se estende até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Aqui, a campanha será abordada com o slogan ‘Viver sem medo também é um direito nosso’.

Compreendendo a  relevância da campanha que é realizada internacionalmente em diversos países e reconhecida nacionalmente, a Promotora Dulce Helena apresentou uma proposta de participação no evento, que consiste em uma sessão de cinema e debate sobre os temas apresentados no filme.

A escolha do filme “Amor?”, do diretor João Jardim,  para a promoção da campanha, deu-se em função do filme abordar a questão da violência a partir de pesquisas e relatos reais de mulheres que sofreram violência e foram atendidas em diversos locais, como delegacias, casas de abrigo, entre outros. Com o filme, pretende-se chamar a atenção para as relações amorosas onde existe violência, a caracterização dos tipos de violência e esclarecer dúvidas existentes sobre esse tema tão polêmico.

Além do cinema com o debate, em parceria do MP e a Vara de Violência Doméstica, está sendo articulado um ‘mutirão’ de audiências para o mesmo período, que certamente será uma das grandes ações durante esses 16 dias de Ativismo.  Ainda serão definidas as datas, locais e a clientela que participará tanto da sessão de cinema como das demais atividades propostas pela Rede, como os serviços de saúde, palestras, mobilização nos ônibus da capital, entre outras.

Brasil é o 7º país com maior número de mulheres assassinadas no mundo

De acordo com o Mapa da Violência 2012, elaborado pelo Ministério da Justiça e pelo Instituto Sangari, a cada duas horas, uma mulher é assassinada no Brasil; seis, em cada dez brasileiros, conhecem alguma mulher que foi vítima de violência doméstica; 30% das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de violência doméstica; a cada dois minutos, cinco mulheres são violentamente agredidas no Brasil.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que o Brasil é o 7º país com maior número de mulheres assassinadas no mundo. Nos últimos 30 anos, foram assassinadas mais de 92 mil mulheres; 43,7 mil só na última década. Além disso, segundo os dados, 68,8% dos homicídios ocorrem dentro de casa e são praticados por maridos ou companheiros.

 

Agência de Notícias – MP/AC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *