Polícia Federal e Exercito iniciam Operação Amazônia Legal

A Polícia Federal, em conjunto com Exército Brasileiro, IBAMA e ICMBIO, cumpriu entre os dias 13/05/2020 a 18/05/2020, 27 (vinte e sete) mandados de busca e apreensão em sedes rurais localizadas no interior o Projeto de Assentamento Extrativista – PAE Antimary, situado na região sul da cidade de Boca do Acre/AM.

Foto: Reprodução

A ação compõe o eixo de atuação das forças federais no âmbito da Operação Amazônia Legal (Polícia Federal) e Verde Brasil 2 (Exército Brasileiro) e tem como objetivo reprimir e apurar crimes de invasão de terras públicas, desmatamento ilegal e posse ilegal de armas de fogo na região, que vêm crescendo de forma exponencial na região.

A Operação Amazônia Legal conta também com o apoio da Força-Tarefa Amazônia/MPF, composta por Procuradores da República do Estado do Amazonas, que veem no PAE Antimary área de potencial conflito entre ocupantes irregulares e a população tradicional agroextrativista, destinada originaria e legalmente a ocupar o PAE.

Foto: Reprodução

Ao total foram realizadas 13 prisões em flagrante, bem como apreendidas 14 armas de fogo e 14 motosserras, além de diversos outros instrumentos que dão suporte aos crimes investigados. Além disso, foram realizadas inúmeras autuações fiscais pelo IBAMA que atingiram a cifra de mais de 2 (dois) milhões de reais.

Todas as forças federais foram protagonistas e tiveram papel decisivo no cumprimento da missão, atuando de forma harmônica no âmbito de cada uma de suas respectivas atribuições, sem o qual a medida não teria atingido tal desfecho.

 A atuação conjunta visa combater o avanço do desmatamento ilegal na região da Amazônia Legal para atividade agropecuária e terá monitoramento contínuo no decorrer do período de seca amazônica, com novas incursões nas áreas visitadas, visando reprimir a realização de queimadas, que tem como consequência a piora da qualidade do ar e do quadro clínico dos infectados pelo COVID-19, bem como preservar a integridade da PAE Antimary  conforme a concepção legal da reserva ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *