Presidente da ACISA diz que empresários ficaram decepcionados com a não flexibilização do comércio

A prorrogação do decreto veio como um balde de água fria nas pretensões do setor. Os empresários do setor do comércio apostavam todas as fichas na possibilidade do governador, anunciar na tarde de segunda-feira, a abertura gradual dos estabelecimentos através do pacto acre sem covid, considerando a atividade econômica e social.

O comitê de gestão decidiu que haverá uma classificação de risco que vai indicar que tipo de negócio pode estar funcionando, só que na prática a direção da ACISA esperava um outro posicionamento do chefe do chefe do executivo estadual.

O comércio está fechado há quase 100 dias sendo obrigado a arcar com passivos trabalhistas, quitar IPTU, energia e muitos pegaram financiamentos para melhorar os estoques, de portas fechadas, não tem como fazer dinheiros para impulsionar as empresas. Boa parte delas vinha operando no vermelho antes da pandemia, a quebradeira é geral.

No projeto acre sem covid, o governador Gladson Cameli, deixou a decisão de flexibilizar ou não as atividades econômicas a cargo das prefeituras, três indicadores irão nivelar a abertura do comércio: nível de contaminação, responsabilidade social e capacidade do sistema de saúde. Os níveis de contaminação de risco foram avaliados em vermelho, laranja, amarelo e verde, a preocupação de celestino bento é por que atualmente existe uma subnotificação nos casos de coronavirus no acre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *