Presidente do CRM/AC é ameaçada de morte após barrar contratação de médicos sem registro

A médica e presidente do Conselho Regional de Medicina (CRM-AC), Leuda Dávalos, confirmou à imprensa ter sofrido ameaças, ofensas e calúnias após a Justiça derrubar a liminar permitindo a contratação de médicos formados no exterior sem revalidação do diploma. Uma das ameaças fala em “amassar a cabeça” da representante do CRM.

Por telefone, ela se disse chocada com as reações expostas em um grupo do aplicativo WhatsApp contra a decisão judicial que malogrou a intenção dos que esperavam ser contratados sem inscrição no órgão de classe. E conta que a assessoria jurídica da autarquia já está cuidando do caso.

“Estou triste com esse tipo de ataques porque gostaria de ter o respeito dos médicos formados no exterior, como eu”, disse ela.

Leuda Dávalos afirma ter se formado na Universidad San Francisco Xavier, em Sucre (Bolívia), à qual chegou como bolsista, já que a família, oriunda da zona rural acreana, não tinha condições de arcar com seus estudos na época.

“Como todos os colegas de renome que hoje atuam no estado e também se formaram no exterior, tive que superar dificuldades e passar pelo processo de revalidação do diploma para exercer a profissão”, declarou.

A presidente do CRM no Acre afirma entender a frustração dos que se formam em medicina em outros países e não conseguem trabalhar no Brasil. Mas argumenta que eles precisam provar estar capacitados para atuar na profissão. “A sociedade tem o direito de ser atendida por médicos qualificados”, acrescentou.

De acordo com Leuda, há relatos sobre faculdades de medicina no Paraguai que nem sequer são reconhecidas pelo governo daquele país.

Quanto aos profissionais que passam pelo processo de revalidação do diploma e recebem, em solenidade promovida pelo CRM-AC, o documento com o registro profissional, a médica afirmou se tratar de um dos seus ‘maiores orgulhos’.

Em nota, o Sindicato dos Médicos do Estado do Acre (Sindmed-AC) repudiou as ofensas feitas à médica e colocou os serviços jurídicos desta entidade à sua disposição, “para que os culpados sejam punidos” conforme a lei.

Leia a seguir a nota do Sindmed:

Nota de Repúdio

A Diretoria do Sindicato dos Médicos do Estado do Acre (Sindmed-AC) repudia os ataques e as ameaças quem tem como alvo a presidente do Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC), a médica Leuda Dávalos, em virtude do recurso que derrubou a liminar que permitia ao governo do Estado a contratação de médicos sem o registro no órgão de classe.

Os membros deste Sindicato também reafirmam o compromisso de defesa da colega, disponibilizando os serviços jurídicos desta entidade para que os culpados sejam punidos conforme previsto em lei.

Em nosso regime democrático é possível se manifestar, mas o ato pode se transformar em criminoso quando representa ameaça ou ofensa as pessoas, ferindo frontalmente a as normas vigentes.

Os Diretores do Sindmed-AC reafirmam também serem contra o exercício ilegal da profissão por profissionais sem a inscrição no CRM, apoiando o recurso encaminhado pela autarquia ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília-DF.

A Diretoria do Sindmed-AC

Com informações do O Acre Agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *