Publicado em 28 de fevereiro de 2013

Setul realiza Feira do Artesanato e da Economia Solidaria em comemoração ao Dia das Mulheres

O governo do Estado, por meio das Secretarias de Turismo e Lazer e de Pequenos Negócios, a prefeitura de Rio Branco e o Sebrae, realizam entre os dias 1 e 10 deste mês, a Feira de Artesanato e Economia Solidária em comemoração ao dia da mulher. Os trabalhos estão expostos no Novo Mercado Velho, das 17 às 23 horas.

Tem como objetivo ser espaço de formação e troca de experiências e comercialização entre os grupos e visitantes, proporcionar uma mostra das diferentes iniciativas solidárias que estão sendo realizadas, criando e fortalecendo a rede de Economia Popular Solidária, na perspectiva da integração campo-cidade, de um comércio justo e de um consumo racional e solidário.

A Feira reúne 100 empreendimentos locais, que estão comercializando produtos de jardinagem, artesanato, recreação e comidas típicas. Durante cinco dias de evento, estima-se atrair um público de dez mil pessoas e garantir uma boa renda com os produtos expostos, gerando trabalho e renda diretamente a vários trabalhadores da economia solidária.

“A economia solidária é uma dessas formas, além de ser um instrumento de inclusão social, e se opõem à  exploração do trabalho e dos recursos naturais e promovem o desenvolvimento sustentável, ou seja, o crescimento econômico em harmonia com a proteção da natureza.”, afirmou Ilmara Lima, secretária de Turismo e Lazer do Estado.

Empreendimentos Solidários são destaques em todo país

A economia solidária ganhou força no Brasil com o apoio de instituições e entidades a iniciativas associativas comunitárias e com a constituição de cooperativas populares, feiras de cooperativismo e redes de produção e comercialização. A atividade ganhou também o apoio de governos municipais e estaduais, o que levou a um aumento no número de programas de economia solidária, como bancos do povo, centros populares de comercialização e projetos de capacitação.

Existem em Rio Branco mais de 250 empreendimentos solidários, entre eles negócios em praças e mercados, lavanderias comunitárias, que oferecem trabalho para várias mães de família, e hortas comunitárias, que envolvem famílias de baixa renda.

A prática da Economia Solidária aparece justamente nas iniciativas de produção, comercialização e consumo solidários, pois envolve e articula os diferentes estágios da atividade econômica dos empreendimentos solidários, desde o planejamento, a produção até o consumidor final.

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)