Sindicato dos Urbanitários denuncia perseguição da direção do DEPASA aos trabalhadores

Ao denunciar as condições insalubres da ETA em Xapuri um servidor foi demitido, outro problema que chama a atenção são as estações abandonadas. Um adolescente morreu no Wanderlei Dantas e outro ficou gravemente ferido no morro do Marrosa.

Quase três meses depois de um adolescente de 14 anos cair neste reservatório abandonado do DEPASA, na rua Gabino Besouro, no morro do Marrosa, nada mudou, a exceção foi a ação preventiva da guarnição do corpo de bombeiros, que no dia do acidente que quase termina em tragédia, optou em dificultar o acesso dos adolescentes a plataforma.

Aliás, esse assunto já havia sido denunciado pelo sindicato dos Urbanitários logo após o acidente que vitimou o menino Vilk Gabriel de 8 anos no bairro Wanderlei Dantas.

Desde que Tião Fonseca assumiu o departamento de água e esgoto do estado que os conflitos internos se intensificaram, recentemente foram dois: a devolução de 35 servidores do SAERB que prestavam serviço ao DEPASA e a demissão de um operador da ETA de Xapuri que denunciou as condições insalubres do ambiente de trabalho, Marcelo Jucá quer a mediação do governador para pacificar o DEPASA. 

Presidente do Sindicato dos Ubanitários

Tentamos ouvir a versão da direção do DEPASA, mas, não tivemos retorno, o espaço está aberto para as devidas explicações.

Reportagem/ Ronaldo Guerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *