Vai trabalhar nos jogos da Copa? 7 dicas para não pisar na bola

Não conseguiu escapar da convocação da empresa para trabalhar nos dias de jogos do Brasil? Como a sua, muitas outras companhias não vão dispensar os funcionários para acompanharem a Copa de casa. No entanto, para compensar, algumas irão montar esquemas para que os profissionais assistam às partidas no próprio escritório.

“Quando você junta um assunto que é uma cultura nacional – como o futebol – e o trabalho, você tem oportunidade de tirar frutos positivos disso, como promover a integração e a motivação da equipe”, comenta Julio Amorim, fundador da consultoria em RH Great Group. Porém, a combinação de algo tão polêmico e o ambiente corporativo pode se transformar em um desastre se você não tomar os devidos cuidados durante o evento.

Para ajudá-lo a não cometer nenhuma falta, o iG ouviu especialistas e listou 7 dicas de comportamento para assistir aos jogos da Copa no escritório. Confira:

1 – Poupe a mãe do juiz

Parece impossível manter o controle dos gritos e xingamentos em um jogo da seleção? Pois é melhor aprender a manter a calma. Apesar de o RH e os getores da sua empresa provavelmente terem consciência de que futebol é uma paixão nacional e que um ou outro grito vai escapar, você não está no sofá da sua casa e nem todos os seus colegas vão gostar de ouvir todo o seu repertório de palavrões. “As pessoas vão estar extremamente ansiosas, emotivas e apreensivas. Tem de tomar cuidado. Vá e divirta-se, mas mantenha um mínimo de educação e gentileza”, recomenda a consultora de imagem e etiqueta, Ana Vaz.

Divulgação

Ana Vaz, consultora de imagem

2 – Vista a camisa do time, se for permitido

Se a empresa permite que você vá trabalhar com uma vestimenta casual, muitas vezes já está implícito que a equipe pode ir com a camisa do time no dia do jogo. De qualquer maneira, para não dar uma bola fora, o recomendável é que você verifique com o setor de RH da companhia ou com o seu gestor se está liberado ou não. O cuidado tem de ser ainda maior se a empresa já tem um código de vestimenta mais formal.

3 – Respeite a barreira da intimidade

Qualquer tipo de confraternização da empresa é uma boa oportunidade para você aumentar sua rede de relacionamentos. As pessoas estarão mais abertas para conversar e fazer novas amizades. Porém, é preciso estar atento para não forçar uma intimidade indesejada. Ao fazer um novo contato, tente enxergar qual é o tipo de abertura que aquele colega ou chefe está lhe dando e respeite este espaço. Do contrário, você pode passar a imagem de alguém inconveniente e chato.

4 – Deixe a vuvuzela em casa

A não ser que a empresa peça para que os funcionários levem adereços de torcida, como cornetas e apitos, o ideal é que você vá de mãos livres. O som de uma vuvuzela pode ser aturável dentro de um estádio, mas pode incomodar dentro de um ambiente pequeno como o escritório. Caso a companhia esteja planejando algo mais casual e barulhento, é bem provável que o departamento responsável pela organização distribua os adereços no momento do jogo.

5 – Mantenha a dieta durante a partida

Caso haja bebidas e petiscos para acompanhar o jogo, o RH deve se certificar de que a quantidade será suficiente para todos os funcionários do escritório. Portanto, não há necessidade de abraçar a bandeja de salgadinhos. Como em qualquer outra confraternização, seja da sua empresa ou não, monopolizar a mesa de petiscos pode ser encarado como falta de educação. E se a bebida for alcoólica, vale tomar uma ou duas doses para descontrair, mas mantenha o controle para evitar vexames e consequências mais graves.

Divulgação

Júlio Amorim, sócio-fundador do Great Group

6 – Se não gosta de futebol, não fique no banco de reservas

Ao contrário do que dizem, o gosto pelo futebol não é uma unanimidade. Nem todo mundo faz questão de assistir aos jogos do Mundial, mas isso não deve ser motivo para você se excluir do evento no escritório. Encare o momento como uma oportunidade de se desligar do trabalho e aproveite para conhecer melhor seus colegas e gestores. Se o seu relacionamento com os chefes for aberto, é válido propor um evento paralelo, como uma palestra ou a exibição de um filme em outro ambiente para quem realmente não está afim de assistir à partida.

“Para que você tenha uma coisa positiva, você precisa ter alternativas. Não dá para fazer uma integração em cima de um jogo com pessoas que não gostam. Vai gerar críticas e comentários”, observa Amorim.

7 – Após o término do jogo, volte concentrado ao campo

É normal que haja um pouco de dispersão logo depois de a partida acabar, ainda mais se o resultado for positivo para o Brasil. Porém, se a empresa não liberou os funcionários para assistirem ao jogo fora é porque eles precisam que você volte a trabalhar depois. Portanto, respire fundo e bola para frente. Deixe para continuar comemorando quando terminar o seu turno.

Portal IG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *