Acusados de triplo homicídio do Novo Horizonte vão a júri popular

 

Ecimáiro Carvalho

Os acusados de executar três jovens no conjunto novo horizonte vão a júri popular. O triplo homicídio, aconteceu em fevereiro deste ano, durante um ataque a uma residência. A decisão é do juiz da segunda vara do Tribunal do Júri, Mateus Mendonça da Costa, Luiz Fernando Cruz e Lucas Freire de Lima vão sentar no banco dos réus para responder pelo o triplo homicídio do Conjunto Novo Horizonte. A sequência de crimes aconteceu fevereiro deste ano durante um ataque a esta casa: Luana da Silva Aragão, Renan Barbosa de Andrade e Rafaela dos Santos Rodrigues foram executados a tiros. O advogado Armisson Lee Linhares  que atua na assistência de acusação, disse que Luana, tinha ido ao local, apenas fazer uma visita.

Na sentença de pronúncia, o juiz relatou que o crime – teve como motivação. A disputa entre facções criminosas pelo o território do tráfico de drogas na região. O triplo homicídio foi todo planejado. Antes do crime os acusados roubaram uma caminhonete.

A S-10 foi utilizada durante a execução do triplo homicídio. O quarto envolvido no crime, Ruglesson Silva, morreu um dia após o ataque em confronto com a polícia militar, nesta região da floresta. O acusado ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. O advogado Armisson Lee contratado pela a família da jovem Luana, acredita na condenação dos réus. O próximo passo agora é marcar a data do júri que deve acontece no ano que vem.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *