Assalto no Banco do Brasil de Feijó completa 4 anos. Líder da quadrilha já está solto

banco do brasil assalto feijoNa manhã do dia 30 de outubro de 2009, a Agência do Banco do Brasil do município de Feijó foi tomada por uma quadrilha fortemente armada. Depois de usar clientes e funcionários como escudos humanos, o bando fugiu em direção a Br-364.

A partir daí começou a caçada mais longa da história policial do estado. Os criminosos estavam embreados no meio da mata – entre Feijó e o Manoel Urbano.

O valor roubado não foi informado pelo o Banco do Brasil, mas durante o interrogatório, um dos assaltantes confirmou que foi R$ 270 mil reais. Segundo o criminoso, o dinheiro foi rateado entre os integrantes da quadrilha.

Cada um dos  envolvidos depositou sua parte em contas bancárias de outras agências. No dia 03 de Novembro – um dos assaltantes tentou furar o bloqueio policial na balsa do Purus.

O bandido armado com uma sub metralhadora atirou várias vezes – e atingiu o sargento Jossimar da Costa Moreira. Mazinho, como era conhecido, caiu no Rio Purus, o corpo nunca foi encontrado.

No dia 04, Policiais do BOPE, conseguiram prender um dos envolvidos no assalto. Eurico Rocha Nascimento, caminhava pela Br-364, quando foi surpreendido por uma guarnição.

No dia 26 de Novembro – João Luiz Baranoski – apontado como líder da quadrilha é preso em Porto Velho e transferido para Rio Branco. Em Fevereiro de 2010 – Eurico Rocha é punido – O assaltante foi condenado a 30 anos e seis meses de cadeia por três crimes.

baranoskiEm abril é vez do líder do grupo ser julgado. João Luiz Baranoski – foi sentenciado a 22 anos e seis meses de cadeia. Um ano depois, em 19 de abril de 2011, a polícia prende Agostinho Sales, suspeito de envolvimento no assalto.

Em 08 de dezembro do ano passado, o assaltante Edivalson Prospero da Silva, acusado pelo assassinato do Sargento Mazinho, é morto durante confronto com a PM de Rondônia.

O criminoso, condenado a mais de 80 anos de cadeia, foi localizado dentro de um matagal. A última notícia deste caso, aconteceu no dia 16 deste mês, quando o líder da quadrilha que executou o assalto foi beneficiado com o regime semiaberto.

banco do brasil assalto assalto banco feijó banco do brasil assalto feijo

(Ecimáiro Carvalho)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *