Publicado em 18 de junho de 2017

Delegado houve suspeito e testemunhas do sumiço de dupla que saiu para comprar gado

O delegado Fabrizzio Sobreira passou o sábado (17) colhendo depoimentos de pessoas que podem estar envolvidas no sumiço de Fernando Oliveira, 54 anos, e do amigo, Jean Carlos Almeida, 42. A dupla saiu de casa no dia 08 de junho para comprar gado na estrada do Mutum, zona rural de Rio Branco e desapareceu como num passe de mágica.

A motocicleta que os amigos usaram foi encontrada no dia seguinte jogada as margens de um igarapé. Fernando portava R$ 2,200 mil e Jean R$ 5 mil, ambos tinham passagem pela polícia por furto de gado, esse é o ponto de  embaraço da investigação. A polícia tenta descobrir se o sumiço dos homens está relacionado a esse fato ou se eles foram vítimas de emboscada por conta do dinheiro que portavam. As famílias estão desesperadas, abaladas e por medo de represália, não querem falar sobre o assunto.

O corpo de bombeiros chegou a fazer buscas no igarapé onde a motocicleta foi encontrada, as buscas duraram um dia inteiro, foram suspensas depois que os militares avaliaram  que era praticamente impossível dos corpos estarem por lá, em decorrência do córrego ser raso de mais. Ao contrário do caso Bruno Borges, onde a polícia tem quase 100% de certeza que ele  está vivo, esse aqui, as possibilidades são mínimas. A última informação que chegou é que os criminosos após matarem as vítimas abriram  suas barrigas encheram pedra e as  jogaram dentro de um açude nas imediações do Km 8.

Mas independente do tempo que a polícia vai precisar para desvendar esse mistério as investigações estão correndo dentro do prazo previsto em lei, se precisar o titular das investigações poderá solicitar prorrogação por mais 30 dias até que todo processo investigatório esteja concluído.

Ronaldo Guerra – redação TV5

Deixe seu comentário

Mensagem (Obrigatório)