Em novembro, homicídios no Acre caem 61,22%

Os homicídios em todo o Acre reduziram 61,22% de 1 a 30 de novembro. Os dados foram divulgados neste sábado pela Análise Criminal do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) e compara com o mesmo período do ano passado, constatando um decréscimo de 49 para 19 assassinatos.

Ao longo do ano, até agora, o estado soma uma redução de 20,26% no número de homicídios em relação ao mesmo período do ano passado. Caindo de 459 para 366 na comparação entre os 11 meses dos anos de 2017 com 2018, respectivamente.

Segundo o secretário de Segurança Pública e Polícia Civil, Carlos Flávio Portela, o resultado significativo na redução vem dos esforços conjuntos de todas as forças do Sisp.“Temos a Polícia Militar nas ruas, iniciamos a Operação Papai Noel, nossas forças investigativas e de Inteligência estão bastante atuantes. Temos um sistema bastante integrado, fortalecido e contando com o apoio do governador Tião Viana, ainda que todos mantenham suas autonomias preservadas”, destaca o secretário.

 

Fortalecimento 

Nos últimos anos, a Polícia Militar tem recebido uma série de investimentos, com dezenas de novos veículos, armamento e coletes balísticos, além da criação da Companhia Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio), que fortalece as operações com o grupamento em motos. O Estado aplicou só em 2017 cerca de R$ 500 milhões na Segurança Pública, pagando salários em dia e valorizando a tropa com reajustes, tornando-a a quinta mais bem paga do Brasil.

Recentemente, a Segurança Pública ganhou ainda mais um reforço: a criação do Grupamento de Rondas Ostensivas Motorizadas (Rotam), da PM. Agora, o Rotam se une à Companhia Raio, trabalhando no policiamento motorizado, o que confere às ações maior agilidade e eficiência no trabalho diário de policiamento.

Já a Polícia Civil intensificou o calendário de operação de cumprimento de mandados judiciais em todo o Acre e criou a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), um grupo altamente preparado para pronto emprego em ações de risco.

Grandes apreensões e prisões

Ao longo deste ano, inúmeras operações das polícias Civil e Militar resultaram em apreensões que já superam 2 toneladas de drogas, o que enfraquece o poderio econômico do crime organizado. Paralelamente, as operações diárias e ostensivas se intensificaram, principalmente na capital e na segunda maior cidade do estado, Cruzeiro do Sul, a exemplo da operação Ilha Grande que prendeu 160 criminosos de uma só vez, no Juruá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *